Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a televisão portuguesa

Nem melhor, nem pior...apenas diferente

Nas últimas semanas, Teresa Guilherme tem-se desdobrado em entrevistas. 

 

A apresentadora, conhecida por não ter papas na língua, tem feito jus a essa sua característica. Júlia Pinheiro tem sido o principal alvo da nova cara da Casa dos Segredos 2.

 

Frases como: "O que posso dizer é que, neste tipo de programas em que é imprescindível uma grande entrega e muito trabalho anterior de preparação, sou, de facto, melhor do que a Júlia, que joga mais no improviso", "Muitas perguntas que deviam ter sido feitas aos concorrentes pela Júlia, na primeira edição, não foram. Mas até compreendo a razão. A Júlia era directora da TVI e tinha outras responsabilidades: representava a estação e, estou a falar de cor, isso devia condicioná-la" ou " A mim, nunca ninguém me substituiu. Ou as coisas acabam quando eu saio, ou não deixo projetos a meio", foram proferidas por Teresa Guilherme em entrevistas.

 

Bem vistas as coisas, todas elas são verdadeiras. Mas Teresa não é melhor que Júlia, é apenas diferente. 

 

O que acontece é que a apresentadora do Big Brother tem uma maior apetência para este tipo de concursos, já que não tem medo de fazer perguntas que possam causar algum tipo de constrangimento.

 

Em nenhuma intervenção, Teresa Guilherme diz mal de Júlia Pinheiro, embora fosse melhor que não tocasse no assunto. 

 

A agora apresentadora de Secret Story não precisa de mostrar que é melhor em reality-show´s e até era melhor para o programa da TVI que o nome de Júlia Pinheiro fosse afastado de vez.