Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a televisão portuguesa

Próxima!

Portugal subiu ao palco do Festival Eurovisão da Canção de 2012. Filipa Sousa cantou Vida Minha e regressa a casa sem chegar à grande final de sábado.

 

Pelo segundo ano consecutivo a canção da RTP não consegue chegar aos dez países mais votados. Contudo, não existe qualquer surpresa neste resultado. O que Portugal tem feito na Eurovisão é, basicamente, "picar o ponto".

 

Vamos lá porque é tradição, com pouco dinheiro e sem grandes esperanças. A música não dava para grandes espetáculos, mas a pobreza de toda a atuação é sempre notória e este ano não foi exceção.  Não se culpe a crise por isso. Já há vários anos que a música portuguesa só leva para o palco o cantor principal e os coros.

 

O que faz com que o nosso país não seja apenas mais um, são as boas interpretações e interpretes que têm sido escolhidos. Filipa Sousa esteve francamente bem e está de parabéns. No entanto, é de duvidar que alguma vez a cantora tivesse acreditado que pudesse passar à final. Em nenhuma altura se ouviu que, este ano, Vida Minha pudesse apurar-se.

 

Mais uma vez, a RTP não se importou, nem um pouco, com a Eurovisão. Aliás, Filipa promoveu a música em Inglaterra, por exemplo, tendo de pagar toda a deslocação do seu bolso. Se o canal público quer continuar a ir ao festival só por ir que o assuma, sempre faz melhor figura.

 

Quem dera a muitos que tudo aquilo que se faz por fazer neste país fosse como a participação de Portugal no Festival Eurovisão da Canção.