Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a televisão portuguesa

Sete anos

A SIC estreou a nova versão da novela O Astro esta segunda-feira. São precisos recuar sete anos para se encontrar um produto brasileiro que tenha alcançado um resultado melhor do que o de agora.

 

América é a detentora da melhor estreia dos últimos anos. Estreou em junho de 2005. Agora, o remake da história dos anos 70, conseguiu um resultado idêntico.

 

11,3% de rating, equivale a cerca de um milhão e cem mil espectadores, enquanto que em 2005, a novela protagonizada por Deborah Secco, conseguiu 11,7% de rating.

 

O resultado não é estrondoso, longe disso, mas nos tempos que correm, e para um produto brasileiro, é bastante bom. Desde a entrada em vigor do novo painel de medição de audiências, em março de 2012, as histórias vindas do país filho ganharam um novo fôlego.

 

Obviamente que esses números são colocados em causa pela concorrência mas, de momento, são esses que contam. Morde e Assopra, que entretanto já terminou, era líder dos fins de tarde, passando agora a pasta a Fina Estampa que também o é, mas com audiências mais fracas. Insensato Coração, ao final da noite, também consegue fazer moça na concorrência, chegando mesmo a ficar à frente de Remédio Santo, a principal concorrente, em diversos dias.

 

Foi uma boa jogada do canal de Carnaxide que se teve de render, uma vez mais, à TV Globo. Há quem critique o canal português por emitir novelas brasileiras. Contudo, tendo em conta a boa qualidade das mesmas, parece-me que as críticas devem ser em menor escala. Estas são um produto estrangeiro, como os filmes ou séries, só que têm a mais valia de serem falados em português. Alguém critica os canais por emitirem, quase exclusivamente, cinema americano?

 

Não sou advogado do "diabo", mas é bem mais criticável a RTP que emite novelas brasileiras e, essas sim, de qualidade bastante duvidosa.