Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a televisão portuguesa

...

Reajuste de antenas e acréscimo no acesso via fibra óptica

 http://www.tecnologia.com.pt/wp-content/uploads/2014/06/anaocm-logo.jpg

 

 

Duas notícias importantes para os portugueses. A primeira é a de que cresceu o número de acessos fixos à internet no país. De acordo com a ANACOM (Autoridade Nacional das Comunicações), existem 2.75 milhões de acessos fixo atualmente, cerca de 2,7% a mais do que no 3º trimestre de 2014.

A conexão via fibra óptica é a mais estável de todas e, por isso mesmo, a mais rápida. Aproximadamente 21% do acesso total no país já é feita desta maneira. Com internet rápida, melhoram os serviços oficiais do governo, os serviços bancários, o acesso aos jogos online e até as boas notícias chegam mais rápido. Será possível que se verifique se ganhou milhões na loteria, neste fim de ano, com maior celeridade...

A segunda notícia aos telespectadores lusitanos é sobre a necessidade de reajustar a frequência dos retransmissores terrestres. Esta alteração poderá exigir uma reorientação das antenas e reprogramação dos receptores (sejam eles boxes ou televisores) utilizados para descodificar o sinal dos canais.

 

Image and video hosting by TinyPic

 Novamente de acordo com a orientação da ANACOM, não será necessária a substituição das antenas, mas o órgão ressalta a provável necessidade de reorientação das antenas. A mudança só ocorrerá no território continental, onde se acredita que quase 900 mil usuários possam ser atingidos por este ajuste, com previsão de ínicio para 2016.

Todos os casos serão analisados, de acordo com cada região. Haverá um planejamento de cada situação e a execução da rede será inteligente, sem a necessidade de atingir regiões autônomas. Algumas regiões já possuem, desde 2012, transmissões alternativas.

O motivo primordial para que esta mudança ocorra são as queixas constantes da população, referentes á qualidade do sinal TDT no territôrio continental, o que tornou necessário a modificação da transmissão do sinal televisivo. Tudo é feito, atualmente, utilizando-se apenas de 1 canal.