Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a televisão portuguesa

De repente, já lidera

 

Três anos após o seu nascimento, a CMTV já não é um exclusivo MEO e consegue ser mais vista que a SIC Notícias.

 

O canal do grupo Cofina nasceu em março de 2013 e, nesse mês, registou uma audiência de 0,14% de share. Até setembro do ano seguinte não parou de crescer.

 

Já mais recentemente, conquistou a sua melhor audiência média em novembro de 2015 com 1,03 % de share. Em janeiro deste ano, passou a estar presente no pacote de canais da operadora NOS.

 

Depois das várias ameaças, a CMTV ultrapassou a RTP3, está acima da TVI24 por diversas vezes e chega mesmo a ganhar a liderança dos canais informativos que pertence à SIC Notícias

 

Até 16 de março, a média do canal é de 2,16% de share, superior ao share da TVI24 e da RTP3, segundo dados da empresa medidora de audiências, a CAEM, divulgados pelo jornal Correio da Manhã

 

Pelo menos uma das primordiais promessas o canal cumpre: está em todo o lado, mesmo que o interesse do conteúdo da notícia ou do direto seja descabido.

 

Do pouco que acompanho a CMTV, posso dizer que não é um melhor canal informativo do que qualquer um dos outros. É, sobretudo, menos profissional e mais virado para a notícia de "faca e alguidar" como o jornal em que se inspira.

 

Desde 21 de março, o canal emite a novela Escrava Isaura, a versão da Rede Record, exibida pela RTP em 2004. A CMTV entrou, portanto, noutro campeonato. Um canal informativo não emite novelas. Será difícil comparar os resultados desta estação com os da RTP3, por exemplo, que se dedica apenas e só à informação.

 

Nem tudo é mau neste canal. É obvio que existem boas reportagens ou uma boa cobertura de determinados assuntos.

 

Não sou fã, mas tiro-lhe o chapéu pelo que conseguiu em pouco tempo. E, já agora, parabéns pelo 3º. aniversário CMTV.