Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a tv portuguesa

29
Mar17

Diana Bouça-Nova: "Acho difícil regressar ao entretenimento"

Tiago Lourenço

facebook.jpg

 

Diana Bouça-Nova (RTP)

 

 

 

   

 

 

   Diana Bouça-Nova, de 31 anos, é jornalista da RTP desde 2015.  Apesar de fazer da informação a sua vida profissional, foi no entretenimento que, inicialmente, se destacou.

 

 

   Em 2009, tornou-se numa das caras da SIC Radical. Foi apresentadora do "Curto Circuito" e repórter em eventos como o "Rock in Rio - Lisboa".

   

   Em entrevista ao "A Caixa que já foi Mágica", revela qual o sentimento de um jornalista ao ser notícia, por motivos pessoais, como é o seu caso. Fala dos planos para o futuro na estação pública e conta ainda como foi a mudança de registo na televisão.

 

 

 

   ACJFM.: Como correu a passagem do entretenimento para o jornalismo? No início, as diferenças entre estas duas vertentes criaram-lhe dificuldades? 

 

   Diana Bouça-Nova.: A passagem foi tranquila. Já tinha feito jornalismo antes. Sou jornalista. Ainda bem que há sempre desafios.

 

   

   ACJFM.: Os novos colegas conheciam o seu trabalho como apresentadora?

 

   DBN.: Alguns sim. Mas isso nunca foi motivo de privilégio ou do contrário.

 

   

   ACJFM.: Desde que está na RTP, como jornalista, qual foi o trabalho que lhe deu mais gozo fazer? E qual o que lhe criou mais dificuldades?

 

   DBN.: Há vários. É difícil definir apenas um. Gosto muito de trabalhos que envolvam sair em reportagem por algum tempo. Obriga-nos, enquanto jornalistas, a "mergulharmos" naquele trabalho. É muito bom.

   Tenho a sorte de já ter tido alguns assim. Adorei fazer parte da equipa do Euro, que teve o melhor final possível e tantos outros trabalhos. Felizmente, não posso dizer que tenha tido algum com grandes dificuldades.

 

   

   ACJFM.: Afirmou, em entrevista, que espera "crescer na RTP". Quais são as suas perspetivas em relação ao futuro no canal público?

 

   DBN.: "Crescer" engloba muita coisa. É essencial para mim saber mais e fazer melhor todos os dias. Estar num canal como a RTP tem esse peso e essa é também uma responsabilidade que carrego comigo sempre, em qualquer lado. Gosto de desafios, de "sair da minha zona de conforto", trabalhar em áreas novas. Ainda tenho muito para aprender!

 

   

   ACJFM.: Tem sido notícia por alguns assuntos pessoais, como o seu casamento e o nascimento do primeiro filho. Agora que está do outro lado, do lado do jornalista, como é que encara o facto de continuar a ser notícia?

 

   DBN.: Nunca foi muito confortável para mim e continua a não ser. No entanto, já me habituei. Vivo na velha máxima de livro aberto. Prefiro ser eu a dar a notícia e partilhar do que ter a imprensa a "tentar saber". Não me incomoda que se saiba que casei e que tive um filho porque ambos são motivos de felicidade. Dizem respeito à minha vida? Sim, claro. Mas porque não partilhar com os outros?

 

   

   ACJFM.: Um regresso ao entretenimento está fora de questão?

 

   DBN.: Acho difícil...

 

   

   ACJFM.: A televisão ainda é a "caixa mágica"?

 

   DBN.: A televisão continua e quero acreditar que vai continuar a ser mágica!

 

facebook.jpg

 

 

Facebook

Audiências - TOP 5

As audiências voltam a ser atualizadas em setembro.

Novidades

"Vale Tudo" regressa à SIC depois do verão

Mais sobre mim

foto do autor