Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a tv portuguesa

21
Jul17

Ficha Técnica com Isabel Roma.: "É mais gratificante fazer Serviço Público do que garantir audiências"

Tiago Lourenço

coverFB_fichatecnica_V2.png

 

 

   Isabel Roma é produtora de televisão na RTP. Está na estação pública há mais de 17 anos, quase metade da sua vida. 

   

   Natural do Porto, tem a seu cargo o programa "Janela Indiscreta". Mário Augusto é a cara principal do formato que conta todas as novidades do cinema mundial.

 

   Em entrevista ao "Ficha Técnica", relata as exigências do trabalho e revela que as audiências não a preocupam. A produtora conta que a qualidade dos formatos que tem a cargo são a sua maior preocupação e que aprendeu na RTP a interessar-se apenas pelo Presente.

 

Isabel Roma de Oliveira

 

 

   

   A Caixa que já foi Mágica.: Está na RTP há 17 anos. Trabalhou sempre como produtora na televisão pública ou ocupou outros cargos?

 

   Isabel Roma.: Antes de ser produtora fui relações públicas e assistente de produção. Antes de trabalhar em audiovisuais trabalhei em turismo.

 

 

    ACQJFM.: Qual é o trabalho de um produtor de televisão?

 

    I.R.: Um produtor é aquele que tem que fazer tudo para que uma ideia se concretize, se possível, sem se fazer notar.

 

 

   ACQJFM.: Quais são as maiores exigências no seu trabalho?

 

   I.R.: Saber tudo sobre cada projeto que se tem em mãos, mas saber igualmente delegar e confiar tarefas. Ser o primeiro a entrar e o último a sair.

 

Depois, dependendo do tipo de produção em causa: assegurar os melhores, mais credíveis e criativos conteúdos; assegurar as melhores condições de trabalho aos colegas (e isso pode incluir alojamento, alimentação, mas também um guarda-sol ou um comprimido para a dor de cabeça) ou assegurar que cada projeto fica dentro do orçamentado.

 

 

   ACQJFM.: De todos os programas que produziu, há algum que lhe deixe mais saudades? Qual foi o formato mas desafiante ao longo destes anos e porquê?

 

   I.R.: O ano do "Euro 2004" é inesquecível para todos os que, de alguma forma, estiveram envolvidos na transmissão dos jogos, programas de apoio, etc..

 

O projeto mais recente é sempre o mais desafiante. Ou, dito de outra forma, todos os projetos têm desafios diferentes. No ano passado, por exemplo, houve um projeto para a RTP2 chamado “Jogos Reais” que foi altamente desafiante!

 

 

32597_39173_78645.jpg

 

 

   ACQJFM.: É, atualmente, produtora do programa "Janela Indiscreta". Em que é que este formato é desafiante para si?

 

   I.R.: Este programa acaba por ser bastante simples, porque trabalhamos, maioritariamente, com conteúdos que nos são fornecidos. O meu colega Francisco Silva estabelece todas as pontes necessárias e assegura as gravações com o Mário Augusto.

 

 

   ACQJFM.: Uma vez que trabalha na televisão do Estado, quais são as maiores dificuldades em fazer serviço público?

 

   I.R.: Não chamaria dificuldades, mas antes responsabilidades. Se conhecermos as bases do Contrato de Concessão, se conhecermos as regras, na realidade não é nada difícil. E, em última instância, temos sempre uma estrutura que assegura que nunca perdemos o rumo.

 

Torna-se mais difícil, na verdade, explicar o Serviço Público para fora da empresa, porque quase ninguém fora da RTP lê um documento como o Contrato de Concessão! E isso dá origem a imensos “treinadores de bancada” que não sabem do que falam.

 

 

   ACQJFM.: As audiências preocupam-na?

 

   I.R.: Preocupa-me mais saber se os programas têm qualidade. E interessa-me saber se todas as formas de ver conteúdos são medidas, e não apenas quem vê no momento de emissão em televisão (refiro-me, por exemplo, ao on-demand).

 

 

   ACQJFM.: O que é que, na sua opinião, é mais difícil: garantir audiências ou fazer serviço público?

 

   I.R.: É mais difícil garantir audiências. E é muito mais gratificante fazer Serviço Público do que garantir audiências.

 

 

   ACQJFM.: Em 17 anos a RTP mudou muito a vários níveis. Hoje a estação é melhor do que era em 2000?

 

   I.R.: Está melhor, claro, e daqui a 17 anos estará melhor ainda. O percurso da RTP, embora nem sempre fácil, é muito sólido.

 

 

   ACQJFM.: O que é que gostava que o futuro profissional lhe reservasse?

 

   I.R.: Gosto mais de apreciar o presente do que ter expectativas. O melhor momento é o agora, porque esse já ninguém me tira – e isto aprendi com uma das pessoas mais especiais com quem me cruzei na RTP.

 

 

   ACQJFM.: A televisão ainda é a "caixa mágica"?

 

   I.R.: Para a maioria das pessoas, creio que sim. Mas para muitas outras, a caixa mágica de hoje está online ou na box.

 

 

 

Leia também:

postsimples_fichatecnica_V1.png

Ficha Técnica com Pedro David: "Ganhei muito respeito pela minha voz"

postsimples_fichatecnica_V1.png

"Ficha Técnica" com Tiago Brochado: "Lembro-me muitas vezes da morte do Fehér"

 

 

 

NOTA.: O "A Caixa Que Já Foi Mágica" vai de férias, mas promete regressar em setembro. Até lá, se for o caso, umas boas férias também para si :)

09
Jul17

Pior a emenda

Tiago Lourenço

facebook.jpg

 

65743548_SC-TV-Estreia-da-novela-Novo-mundo-nova-t

 

   A SIC estreou a novela brasileira "Novo Mundo" em abril. No horário das 19H00, a estação de Carnaxide já era apenas a terceira estação preferida nas audiências.

 

   Com a chegada da história de época ficou ainda pior. Protagonizada por Isabelle Drummond e Chay Suede, "Novo Mundo" atirou a SIC para resultados miseráveis, abaixo até da audiência do programa das manhãs.

 

gosto disto.jpg

 

 

   A solução encontrada foi colocar a produção da Globo para lá das 00H00 e fazer regressar o "Gosto Disto!", apresentado por Andreia Rodrigues e César Mourão. A repetição foi um desastre ainda maior. Chegou a perder para o último episódio de "A Escrava Isaura", da CMTV, e até mesmo a novela que antes ocupava o horário chegou a ter mais público.

 

 

a familia mata.png

 

 

   A aposta ainda mais errada deu lugar, a semana passada, à reposição de "A Família Mata", que conta com Rita Blanco e José Pedro Gomes no elenco. Pouco ou nada mudou. A SIC continua em terceiro num horário importantíssimo. Cristina Ferreira e a TVI estão a léguas de distância e "O Preço Certo", da RTP1, também está longe.

 

   Ou na SIC andam a testar produtos para saber no que apostar em setembro ou então estão sem saber o que fazer. Não é com repetições que se sobem os resultados às 19H00. O "Jornal da Noite", por exemplo, já se recente nas audiências com estes péssimos antecedentes. A estação de Carnaxide tem de se mexer bem e depressa ou corre o risco de precisar de anos para recuperar a dignidade neste horário.

 

facebook.jpg

 

28
Jun17

Mais de 2 milhões estiveram "Juntos Por Todos"

Tiago Lourenço

 

 

image.jpg

 

 

A emissão conjuta entre RTP1, SIC e TVI rendeu ao "Juntos Por Todos", esta terça-feira, mais de 2 milhões e 700 mil espetadores.

 

facebook.jpg

 

 

 

   A TVI foi o canal preferido pelos portugueses para seguir a emissão do evento de ajuda às vítimas dos incêndios em Pedrogão Grande. Embora os três canais generalistas partilhassem a transmissão, cada um escolheu as suas caras para comentar o concerto e o ambiente no MEO Arena.

 

   A estação de Queluz de Baixo registou 13,3% de audiência média e 31,3% de quota de mercado. Estes valores correspondem a 1 milhão e 287 mil espectadores. 

 

   A SIC foi a segunda escolha dos portugueses. "Juntos Por Todos" registou cerca 808 mil espetadores em média. O valor foi de 8,3% de rating e 19,7% de quota média de mercado.

 

   A RTP1 foi a terceira escolha no horário nobre de ontem. O evento registou 7,2 % de rating e 16,8% de share. Este valor  significa que mais de 692 mil espetadores estiveram ligados ao canal público.

 

   A estes números das televisões somam-se ainda aqueles que seguiram a emissão pelas rádios nacionais ou pela Internet.

 

Lê também um breve comentário sobre o espetáculo:

Que se faça poucas vezes, mas que se faça as vezes necessárias

28358671_27062017PEDROROCHA0016-741x486.jpg

 

Dados de audiência Total Dia (Live+VOSDAL) para 27 de junho de 2017. Os números apresentados são da responsabilidade da GfK/CAEM.

 

 

 

 

facebook.jpg

 

08
Jun17

Desilusão

Tiago Lourenço

 

mw-1024.jpg

 

facebook.jpg

 

 

   Estive uns dias fora do país (peneirento) e, por isso, não tive tempo suficiente para escrever. Antes de ir, vi que a SIC preparava o regresso do "Gosto Disto!" e um novo programa chamado "Tudo Incluído". Estou completamente desiludido, talvez por culpa minha. Culpa minha porque achei que a SIC se tinha mexido e ia trazer novidades.

 

   Em primeiro lugar, pensei que o "Gosto Disto!" ia ter novos episódios, um novo cenário virtual, novos vídeos e que marcaria o regresso de César Mourão à televisão. Mesmo assim era pouco para uns dos horários mais competitivos da televisão portuguesa. Às 19h00, o canal de Carnaxide obtinha péssimos resultados com a novela brasileira "Novo Mundo".

 

   Em segundo lugar, pensei que o "Tudo Incluído" fosse a grande aposta para os domingos a partir de setembro. Um programa, sempre com o mesmo cenário, mas que a cada semana revivesse os icónicos programas da estação a propósito da comemoração dos seus 25 anos. 

 

   E o que é que a SIC preparou?

 

   Para as 19H00 retirou uma novela inédita, com maus resultados, e colocou no ar a repetição do "Gosto Disto!". Resultado? Não só não subiu nas audiências como nesta quarta-feira (07/06), por exemplo, teve a CMTV e a TV Globo, dois canais pagos, bem perto. Inpensável!

 

   Já o "Tudo Incluído", que estreia já este sábado (10/06), não é mais do que uma junção de vídeos dos grandes êxitos da SIC apresentados por Andreia Rodrigues.

 

   É tudo muito "poucochinho" para um canal que pretende ser líder de audiências.

 

   Repito. A SIC não é culpada pela minha desilusão. Eu é que ainda penso que o canal é aquele a que me habituei quando ainda era um criança.

 

facebook.jpg

 

29
Mai17

Taça de Portugal lidera e Ljubomir bate recorde

Tiago Lourenço

facebook.jpg

 

ng8553171.JPG

 

 

A final da Taça de Portugal liderou as audiências deste domingo e o "Pesadelo na Cozinha" teve a sua emissão mais vista.

 

 

   O jogo entre o SL Benfica e o Vitória de Guimarães, na final da Taça de Portugal de futebol, registou uma audiência de 18,8% e 47,1% de quota média de mercado.

 

   A partida, mesmo emitida durante a tarde, não deu hipótese à concorrência e foi o programa mais visto de domingo ao garantir uma média de 1 milhão e 821 mil espetadores. 

 

   Por sua vez, o "Pesadelo na Cozinha" marcou o seu melhor resultado desde a estreia. Com 17,2% de rating e 35,8% de quota de mercado, o programa da TVI registou uma média de 1 milhão e 670 mil espetadores.

 

   No mesmo horário, a final do "Got Talent Portugal" conseguiu um dos melhores resultados da temporada, mas não foi além dos 945,400 espetadores em média.

 

   Bem longe esteve o "Just Duet" da SIC. O talent-show ainda não se conseguiu impor nas audiências e ficou-se pelos 424,500 espetadores em média.

 

   A RTP1 garantiu a liderança nas audiências de domingo, seguida da TVI e só depois da SIC.

 

 

Dados de audiência Total Dia (Live+VOSDAL) para 28 de maio de 2017. Os números apresentados são da responsabilidade da GfK/CAEM.

 

Lê também:

 

postsimples_fichatecnica_V1.png

Ficha Técnica com Mariana Marques: "Não pretendo regressar à televisão tão cedo"

 

 

facebook.jpg

 

 

 

24
Mai17

Salvador e Luísa sobem audiência da RTP

Tiago Lourenço

facebook.jpg

 

db8f20443bf95e31606397fd3e524384.jpg

 

A entrevista dos irmãos ao canal público, que foi para o ar esta terça-feira, foi seguida por cerca de 890 mil espetadores.

 

 

 

   A primeira entrevista de Salvador Sobral, após a vitória no Festival Eurovisão da Canção, fez com a que a RTP quase duplicasse a sua audiência às 21H00. O valor médio da estação no horário ronda os 4% ou 5% de rating.

 

   O especial conduzido por Vítor Gonçalves, e que contou também a presença de Luísa Sobral, registou uma audiência média de 8,5% de rating e 18,1% de quota de mercado.

 

   A entrevista foi o 6º. programa mais visto de terça-feira e o que melhor resultado registou na estação do Estado.

 

   Recorde-se que Salvador Sobral venceu, no passado dia 13 de maio, o Festival Eurovisão da Canção. A música "Amar Pelos Dois" foi escrita pela irmã, Luísa Sobral, e deu a Portugal a primeira vitória no certame internacional.

 

 

Lê também:

postsimples_fichatecnica_V2.png

Ficha Técnica com a "voz" da TVI: "Ganhei muito respeito pela minha voz"

postsimples_fichatecnica_V2.png

Ficha Técnica com Tiago Brochado: "Lembro-me muitas vezes da morte do Fehér"

  

Dados de audiência Total Dia (Live+VOSDAL) para 23 de maio de 2017. Os números apresentados são da responsabilidade da GfK/CAEM.

 

facebook.jpg

 

 

 

14
Mai17

Festival é o programa mais visto de sábado

Tiago Lourenço

facebook.jpg

 

1494734449385.jpg

 

O Festival Eurovisão da Canção liderou, ontem, durante toda a emissão.

 

 

   Portugal venceu, pela primeira vez, o certame musical europeu. A vitória de Salvador Sobral foi acompanhada por  14,5% de audiência média e 32,5% de share. Estes números correspondem a uma média de 1 milhão e 400 mil telespetadores.

 

   Pelas 20H55, quando era cantada a música "Amar Pelos Dois", a RTP1 marcava mais de 1 milhão e 800 mil telespetadores. 

 

   O maior pico deu-se às 23H38, quando Salvador Sobral erguia o troféu. Mais de 2 milhões de portugueses estavam ligados ao canal do Estado, que correspondem a 24,5% de audiência média e 57,5% de share. Este valor só é registado, por exemplo, em grande partidas de futebol.

 

   A RTP1 liderou o dia, marcando o seu máximo do ano. A TVI ficou em segundo lugar e a SIC foi o terceiro canal mais visto de sábado.

 

 Dados de audiência Total Dia (Live+VOSDAL) para 13 de maio de 2017. Os números apresentados são da responsabilidade da GfK/CAEM.

facebook.jpg

 

10
Mai17

Salvador dá minuto mais visto do dia à RTP

Tiago Lourenço

facebook.jpg

 

salvador-1-850x567.jpeg

 

A semi-final do Festival Eurovisão da Canção registou, ontem na RTP1, uma média de 946 mil espetadores.

 

   

   Salvador Sobral subiu ao palco do Kiev, na Ucrânia, para interpretar o tema "Amar Pelos Dois". Esse momento valeu à RTP1 o minuto mais visto do dia. Ás 20H46, no momento é que o português cantou, o canal do Estado registou uma média de 12,4% de rating e 28,2% de quota de mercado.

 

   A primeira semi-final rendeu à estação pública uma média de 9,8% de rating e 22,7% de share, tornando-se no 6º. programa mais visto de terça-feira. 

 

   Na mesma faixa horária, o "Jornal das 8" e "Ouro Verde", da TVI, foram vice líderes. Já os programa das SIC, "Jornal da Noite", "Amor Maior" e "Espelho D´Água" ficaram-se pela terceira posição.

 

   Também ontem o site da RTP registou o maior número de visitas desde o "Euro 2016".

 

   Salvador Sobral sobe novamente ao palco da Eurovisão no próximo sábado para representar Portugal.

 

Artigos relacionados:

Salvador a caminho da vitória - "13 Reasons Why"

Milagre de 13 de maio

 Dados de audiência Total Dia (Live+VOSDAL) para 09 de maio de 2017. Os números apresentados são da responsabilidade da GfK/CAEM.

facebook.jpg

 

02
Mai17

Estreia de "Espelho D´Água" - audiências e primeira opinião

Tiago Lourenço

facebook.jpg

 

 

2017-03-07-EDA_LOGO_FINAL_RGB.jpg

 

A estreia da nova novela da SIC rendeu o segundo lugar nas audiências de ontem.

 

 

   "Espelho D´Água" estreou ensanduichada por "Amor Maior". A nova trama, protagonizada por Mariana Pacheco e Vítor Silva Costa, registou  13,8 % de rating e 27,6% de quota média de mercado. Este valor corresponde a  cerca de 1 milhão e 390 mil espetadores em média. 

 

   O líder de audiências no feriado de segunda-feira foi o episódio "especial" de "Ouro Verde". A TVI quis barrar a estreia da SIC e conseguiu. A novela do canal de Queluz colou ao ecrã cerca de 1 milhão e 443 mil espectadores, em média, o que equivale a 14,9% de rating e 30,0% de share.

 

   Os dois episódios de "Amor Maior", que serviram de "sanduíche", ficaram-se pelos 3º. e 4º. lugares nas audiências diárias.

 

   

   "Espelho D´Água", nas audiências, não fez mais do que a sua obrigação. Manteve os números de "Amor Maior" e deu luta a "Ouro Verde".

 

   A nova novela não é nenhuma novidade em termos de argumento. É uma história banal, apenas contada de uma forma diferente. Tem a missão de manter ou subir dos números de "Rainha das Flores", que já teve a espinhosa missão de subir os míseros números deixados pela terrível "Poderosas". A trama protagonizada por Sandra Barata Belo fez muito bem a sua obrigação e tornou-se numa aposta ganha.

 

   A história que marca a estreia de Luciana Abreu como antagonista tem, parece-me à primeira vista, todos os ingredientes para manter os números da antecessora.

 

   Gostei do primeiro episódio. Boas interpretações, ótimas imagens, boa fotografia e um bom encadeamento. Foi, sobretudo, um episódio emocionante e ritmado. Uns furos acima da antecessora e até acima de "Amor Maior".

 

   A SIC voltou a mostrar que sabe fazer novelas, só é pena ter esquecido de como se faz o resto.

 

programaçaoSIC.jpg

 Dados de audiência Total Dia (Live+VOSDAL) para 1 de maio de 2017. Os números apresentados são da responsabilidade da GfK/CAEM.

facebook.jpg

 

 

 

 

01
Mai17

O estranho caso da RTP2

Tiago Lourenço

facebook.jpg

 

rtp2-culta-e-adulta.jpg

 

   

   A RTP2, no feriado de 25 de abril, terá registado o pior resultado da sua história. Com 0,9% de audiência média no total diário, o segundo canal foi apenas o 15º. mais visto daquele dia.

 

   Além disso, em várias madrugadas, a estação do Estado chega a ter programas sem um único espetador. Por exemplo, nesse dia o "SMS", de cerca de 20 minutos, registou 0% de audiência. Já no dia 28 de abril, o programa "Aventuras de Arte Moderna", de 50 minuto emitido às 04H05, registou exatamente o mesmo resultado.

 

   Eu sei que a madrugada não está repleta de espetadores, mas é preocupante que, em 70 minutos, a soma da duração dos dois programas em dias diferentes, não exista qualquer registo de audiência. Tal como é preocupante o valor registado no dia da liberdade.

 

   A RTP2 faz o serviço público que a RTP1 deixa por fazer. O canal centra-se mais na cultura, nas questões sociais e ocupa também grande parte da grelha com desenhos animados.

 

   É claro que a segunda estação do Estado tem de ser diferenciadora. Contudo, de que serve ser diferente se não há público para essa diferença?

 

   A direção da RTP tem de repensar o canal. Tem de torná-lo mais apelativo, embora mantendo as suas características. É um trabalho árduo e que tem de ser realizado com pinças.

 

   Esta RTP2, quase sem público, não interessa a ninguém. Não interessa aos que depois não a sintonizam, nem interessa aos que para ela trabalham.

 

   Dados de audiência Total Dia (Live+VOSDAL) para 25 e 28 de abril de 2017. Os números apresentados são da responsabilidade da GfK/CAEM.

facebook.jpg

 

 

Facebook

Audiências - TOP 5

As audiências voltam a ser atualizadas em setembro.

Novidades

"Vale Tudo" regressa à SIC depois do verão

Mais sobre mim

foto do autor