Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a tv portuguesa

26
Jun17

"Juntos Por Todos"

Tiago Lourenço

   

facebook.jpg

 

juntosportodos_Capa.jpg

 

   Esta terça-feira (27/06), a RTP1, a SIC e a TVI emitem um concerto de homenagem às vítimas dos fogos florestais de Pedrógão Grande e zonas envolventes. A esta transmissão, em simultâneo pelas três televisões, juntam-se também todas as rádios. O valor dos bilhetes vai inteiramente para aqueles que foram prejudicados pelo incêndio que deflagrou a 24 de junho.

 

   Felizmente, os canais generalistas portugueses juntaram-se para um bem maior. É a primeira vez que o fazem e merecem um aplauso por isso. Vão abdicar da suas programações para emitir um evento em simultâneo. Sabem que vão perder audiências, porque vão dividi-las, mas sabem também que é preciso ajudar.

 

   No outro dia assisiti a uma entrevista a Carminho. A fadista dizia que "somos rivais quando está tudo bem, quando está tudo mal somos parceiros", numa alusão à rivalidade no mundo artístico e focando-se neste evento. Esta é a frase que melhor define este gesto das televisões portuguesas, das rádios e dos artistas.

 

   Tenho ainda  de enaltecer a atitude da SIC na semana que passou. Na segunda e na sexta-feira, dedicou a programação das manhãs e das tardes à tragédia que assolou a zona centro do país.

 

   Durante dois dias, abdicou de ganhar dinheiro com as chamadas de valor acrescentado, para angariar dinheiro que será doado a quem precisa. Obviamente que houve uma exploração da tragédia para conseguir audiências.

 

   Neste caso não condeno. Que tenha tido conhecimento, mais nenhum canal teve a grandeza deste gesto, que correspondeu a uma generosa quantia monetária, mas que nem por isso gerou melhores audiências para a estação de Carnaxide. A SIC merece os parabéns por esta atitude.

 

   O concerto tem início pelas 21h00, no MEO Arena, e a receita obtida será entregue à União Das Misericórdias Portuguesas.

   O "Juntos Por Todos" é uma iniciativa civil, co-produzida pela Sons em Trânsito , Nação Valente, MEO Arena, Blueticket, RTP, SIC, TVI e artistas participantes. São eles: Agir, Amor Electro, Ana Moura, Aurea, Camané - Página oficial, Carlos do Carmo, Carminho, D.A.M.A, David Fonseca, Diogo Piçarra , Gisela João, Helder Moutinho Official , João Gil, Jorge Palma, Luisa Sobral, Luís Represas, Matias Damásio, Miguel Araújo, Paulo Gonzo, Pedro Abrunhosa, Raquel Tavares, Rita Redshoes, Rui Veloso Oficial, Salvador Sobral e Sérgio Godinho. Os bilhetes já estão esgotados, mas o "bilhete solidário" pode ainda ser comprado.

 

facebook.jpg

 

16
Jun12

Extremos

Tiago Lourenço

A 5ª. série de Ídolos estreou com o melhor resultado de sempre de todas as anteriores edições. Contudo, semana após semana, os resultados do programa da SIC desceram até que, na última gala, a audiência bateu bem no fundo.

 

 

 

A Tua Cara não me é Estranha da TVI não deu margem de manobra e a grande final fez com que o talent-show da estação de Carnaxide fizesse, muito provavelmente, o pior resultado de todas as temporadas portuguesas de Ídolos.

 

A SIC apostou forte no júri, trazendo Pedro Abrunhosa e Tony Carreira para o grupo, mas tais contratações só geraram curiosidade no primeiro programa. A partir daí, já poucos querem saber o que eles têm para dizer.

 

O palco, esse sim, merece destaque. É dos melhores dos últimos anos de todos os programas da televisão portuguesa, mas só isso não chega. É estranho que um programa onde se insultam concorrentes por tudo e por nada, chegue à fase final com um grupo de concorrentes tão fraco.

 

Por sua vez, Cláudia Viera regrediu a olhos vistos na apresentação e João Manzarra, agora sim, necessita de melhorar. Não saberem dizer nada além do que está escrito no teleponto é péssimo e basta o aparelho falhar para que estejam os dois parados a olhar para a câmara sem dizer nada.

 

Os resultados vão continuar a ser fracos, certamente. A TVI não dá tréguas e vai avançar com especiais do programa de imitações.

 

Ídolos podia orgulhar-se de ter maus resultados, mas de ser um excelente programa. Infelizmente, não o pode fazer.

 

Chega para um satisfaz, mas isso é pouco perante o mais incrível "rolo compressor" da TVI dos últimos anos.

27
Mar12

Foi bom mas não chegou

Tiago Lourenço

Ídolos estreou no passado domingo na SIC. O talent-show tem a espinhosa missão de combater o todo poderoso programa da TVI, A tua cara não me é estranha, um dos maiores sucessos televisivos dos últimos tempos e vencedor nas audiências de domingo desde que estreou. 

 

O programa do canal de Carnaxide começou bem, obtendo cerca de 1 milhão e 400 mil espectadores, um dos melhores resultados, senão o melhor de todas as 5 temporadas.

 

Ainda assim, por melhor que seja este resultado, não chegou para derrotar os famosos da TVI que, com mais tempo de programa, conseguiram uma diferença, pouca, de quase 24 mil espectadores. 

 

A 5ª. edição de Ídolos não trouxe nada de novo, a não ser o júri que é o melhor até agora, ligeiramente acima do painel das 1ª. e 2ª. edições. 

 

De resto, a chegada dos jurados é sempre a mesma, de helicóptero, poucas vozes foram surpreendentes e até os "cromos" foram fracos. Fica a aposta bem conseguida em Pedro Abrunhosa e aguarda-se uma evolução nos comentários de Tony Carreira

 

Os dados estão lançados, para se semana o programa da SIC deve descer, já que A tua cara não me é estranha emite a final. 

 

Depois, segue-se uma nova edição do concurso de imitações. Se os famosos forem bem escolhidos, a luta ente os dois programas será bastante renhida, mas com uma tendência da TVI para a vitória.

17
Fev12

Pau de dois bicos

Tiago Lourenço

Foi apresentado, esta quinta-feira, o novo júri da 5ª. edição de Ídolos

 

O programa da SIC contará com o já habitual Manuel Moura dos Santos e a ele juntam-se Bárbara Guimarães, Pedro Abrunhosa e Tony Carreira. 

 

Três dos quatro membros são até previsíveis tendo em conta o painel de jurados que o programa teve noutras edições. 

 

Tony Carreira é, de facto, a surpresa maior. A sua presença num programa do género tem algo que se lhe diga. Goste-se ou não, ele é o cantor português com maior sucesso da atulidade. Mesmo que sejam muitos aqueles que o criticam, o certo é que alguma qualidade tem de existir, caso contrário todo o seu sucesso seria efémero e está provado que não é. 

 

Mas a sua presença em Ídolos é um "pau de dois bicos". Se por um lado Tony tem uma carreira na música que fala por si, também é verdade que o estilo de música que canta não tem nada a ver com o que é pedido no talent-show. A SIC quis apostar no cantor lembrando-se que poderia ser um chamariz de público, mas esse chamariz, esse sim, será efémero. 

 

O público que segue o Ídolos, não é, de todo, o público que segue Tony Carreira. Já o público que o segue, segue-o pelas canções que canta e não pelas lindas palavras que pode vir a dizer no programa. 

 

Ou seja, no início a curiosidade dos fãs até pode ser alguma, mas será passageira. Já os que sempre seguiram o concurso podem vir a afastar-se, já que me parece que são poucos aqueles que apreciam o trabalho de Tony.

 

 Ainda assim, foi uma boa jogada do canal de Carnaxide. Pelo menos o fator curiosidade já está no ar e isso é importante para Ídolos que, além do júri, não traz nada de novo.

Facebook

Audiências - TOP 5

As audiências voltam a ser atualizadas em setembro.

Novidades

"Vale Tudo" regressa à SIC depois do verão

Mais sobre mim

foto do autor