Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A caixa que já foi mágica

Blog de opinião sobre a televisão portuguesa

Que Festival foi esse?

Imagem RTPfacebooknovo.jpg

 

 

 

   Desculpem-me o título. Sou natural de Torres Vedras e o Carnaval ainda não me deixou completamente a cabeça. É por isso que adaptei a letra de um sucesso brasileiro do momento, "Que tiro foi esse?", para intitular este artigo sobre o "Festival da Canção". É que, num "tiro", a RTP matou toda a esperança num festival melhor, após a vitória de Salvador Sobral no ano anterior.

 

   A noite de ontem resume-se assim: 13 músicas em que a maioria delas é péssima, um erro na votação que colocou uma música na final em vez de outra e, pelo menos, uma acusação de plágio de uma das canções. Não consigo imaginar cenário pior.

 

   Esperava mais, muito mais. Gostei da música da Anabela, do Janeiro e percebo o entusiasmo com a canção do Peu Madureira. Além disso, pouco ou nada se aproveita. Razoáveis músicas com péssimos interpretes e bons interpretes com péssimas músicas. Um estilo "mais Salvador" predominou na passada noite de domingo e não me parece uma opção inteligente se queremos fazer boa figura no "Festival Eurovisão da Canção".

 

   Quanto às minhas favoritas da noite, creio que "Sem Título" de Janeiro, no estilo e forma de estar do cantor, serão injustiçadas por uma clara comparação a Salvador Sobral. Não posso deixar de comentar a atitude do artista. Comer uma banana enquanto se é entrevistado não é ser-se diferente, é ser-se mal educado. 

 

 

   A música de Anabela, "Para Te Dar Abrigo", até pode não ser maravilhosa mas é bem interpretada e animada.

 

 

   Já "Só Por Ela", vencedora da noite e cantada por Peu Madureira, é uma boa balada com um toque de fado e uma séria candidata à vitória na final. Ainda assim, também é possível compará-la a "Amar Pelos Dois".

 

   No ano passado, na noite em que Portugal venceu o "Festival Eurovisão da Canção", disse a uma amiga que 2018 seria o ano de Diogo Piçarra, ainda sem saber da sua participação. Depois da primeira semifinal, e sem ouvir a sua música, acredito que só não será o eleito à vitória se o júri assim não o entender. Já que me refiro ao júri, muitíssimo bem escolhido por sinal, não posso deixar de criticar Júlio Isidro e To Zé Brito por fazerem saber que preferem a música de Peu Madureira a todas as outras. 

 

   Destaco ainda a prestação de Inês Lopes Gonçalves, na "Green Room". Sóbria, muito bem preparada e com um humor inteligente, conseguiu ser a surpresa da noite pela positiva. Só que neste domingo não se concorria ao "Festival da Apresentação". 

 

   A RTP errou forte e feio em quase tudo. Não pode voltar a fazê-lo! A segunda semifinal e a final precisam de ser irrepreensíveis porque já não há mais espaço para falhas.

 

facebooknovo.jpg

 

 

 

"SuperNanny" sobe ao primeiro lugar das audiências

super nanny.jpg

facebooknovo.jpg

 

A SIC emitiu, este domingo, o segundo programa do reality-show debaixo de uma enorme polémica. O formato acabou por liderar as audiências.

 

   

   A polémica em torno de "SuperNanny" deu bons frutos para o canal de Carnaxide. O problemático Francisco, de 5 anos, deu ao programa da SIC o primeiro lugar das audiências com uma média de 1 milhão e 251 mil espectadores. Estes valores correspondem a 12,9 % de audiência média e a 26 % de quota de mercado. Com este resultado, Teresa Paula Marques conseguiu subir os números da estreia.

 

   O habitual líder de horário nobre de domingo, o "Masterchef Júnior" da TVI, caiu para a segunda posição, ao registar uma média de 1 milhão e 206 mil espectadores. Este número resulta em 12,5 % de audiência média e 25,3% de share.

 

   Na RTP1, a emissão de "Planeta Azul" não foi além dos 4,5 % de rating e dos 9,0% de quota de mercado. Este valor corresponde a cerca de 435 espectadores em média.

 

   Recorde-se que "SuperNanny" tem sido alvo de duras críticas e até de pedidos de retirada das imagens do primeiro episódio. Instituições como a Comissão Nacional de Promoção dos Direitos das Crianças e Jovens (CNPDCJ), a Unicef, o Instituto de Apoio à Criança e a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) já demonstraram o seu desagrado com o formato.

 

LEIA AINDA A OPINIÃO SOBRE A POLÉMICA EM TORNO DO "SUPERNANNY":

Portugal dos Pequenitos

 

Os dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Incluem Vosdal.

facebooknovo.jpg

 

 

Saiba tudo sobre o "Festival da Canção 2018"

26993254_10155231923372057_5739403194841257438_n.j

 

facebooknovo.jpg

 

 

   Acabaram-se os segredos. A RTP já deu a conhecer tudo sobre o "Festival de Canção 2018". Descubra os cantores, compositores, apresentadores e jurados.

 

apresentadores_grupo_02-860x507.jpg

 

   Jorge Gabriel e José Carlos Malato apresentam a 1ª. semi-final, no dia 18 de fevereiro, nos estúdios da RTP.

   Nesse dia sobem ao palco os seguintes cantores:

 

   Catarina Miranda - "Para Sorrir Não Preciso de Nada" (Júlio Resende) 
   Joana Espadim - "Zero a Zero" (Benjamim) 
   Rita Dias - "Com Gosto Amigo" (Rita Dias) 
   Janeiro - "(sem título)" (Janeiro) 
   José Cid & Gonçalo Tavares - "O Som da Guitarra É a Alma de Um Povo" (José Cid) 
   Beatriz Pessoa - "Eu Te Amo" (Mallu Magalhães) 
   Anabela - "Para Te Dar Abrigo" (Fernando Tordo) 
   Bruno Vasconcelos - "Austrália" (Nuno Rafael) 
   Rui David - "Sem Medo" (Jorge Palma) 
   Peu Madureira - "Só Por Ela" (Diogo Clemente) 
   JP Simoões - "Alvoroço" (JP Simões) 
   Joana Barra Vaz - "Anda Estragar-me os Planos" (Francisca Cortesão) 
   Maria Amaral - "A Mesma Canção" (Paulo Praça) 
 
 

16_9-860x507.jpg

 

 
   A segunda semi-final é apresentada por Tânia Ribas de Oliveira e Sónia Araújo, a 25 de fevereiro. As músicas, os autores e os intérpretes são os seguintes:
 
   Tamin - "Sobre Nós" (Capicua) 
   Dora Fidalgo - "Arco-Íris" (Miguel Ângelo) 
   Peter Serrado - "Sunset" (Peter Serrado) 
   Minni & Rhayra - "Patati Patata" (Paulo Flores) 
   David Pessoa - "Amor Veloz" (Francisco Rebelo) 
   Maria Inês Paris - "Bandeira Azul" (Tito Paris) 
   Daniela Onis - "Para Lá Do Rio" (Daniela Onis) 
   Diogo Piçarra - "Canção do Fim" (Diogo Piçarra) 
   Lili - "O Voo das Cegonhas" (Armando Teixeira) 
   Rita Ruivo - "Anda Daí" (João Afonso) 
   Cláudia Pascoal - "O Jardim" (Isaura) 
   Sequin - "All Over Again" (Bruno Cardoso) 
   Susana Travassos - "A Mensageira" (Aline Frazão) 
 

32847827852_fec4cc48de_k-860x507-1516278187.jpg

 

 
   Júlio Isidro será, novamente, o presidente do júri. Para o acompanhar estarão também presentes Carlão, Sara Tavares, Luísa Sobral, Ana Bacalhau, António Avelar Pinho, Tó Zé Brito, Ana Markl e Mário Lopes.
 
   A Grande final está marcada para dia 4 de março e vai reunir 14 canções selecionadas ao longo das duas semi-finais. Filomena Cautela e Pedro Fernandes vão estar em direto do Pavilhão Multiusos de Guimarães. 
 

facebooknovo.jpg

 

 

 

"Velocidade Furiosa 7" é o filme mais visto de 2018

facebooknovo.jpg

 

furious-7-walker-scenes-digitally-recreated.jpg

 

A história protagonizada por Vin Diesel e transmitida ontem à tarde, pela TVI, tornou-se no filme mais visto da televisão portuguesa no novo ano.

 

 

   Com uma média de um milhão e 194 mil telespectadores, o último filme em que Paul Walker esteve presente registou 12.3% de audiência média e 29.2% de share. Já nas últimas cenas da película, em que é feita a homenagem ao ator que faleceu num acidente de automóvel, a TVI registava o valor mais alto do dia com mais de milhão e meio de espectadores. 

 

   2018 ainda mal começou, é verdade, mas por enquanto, "Velocidade Furiosa 7" lidera o pódio dos filmes mais vistos na televisão em Portugal

 

   No mesmo horário, a SIC emitiu “007: Spectre” e garantiu o segundo lugar no horário de fim de tarde. A história protagonizada por Daniel Craig marcou 9.1% de audiência média e 21.7% de share, o que corresponde a uma média de 880 mil espectadores.

 

   Na mesma faixa horária, a estreia de “Negócio das Arábias”, na RTP1, não foi além dos 2.6% de rating e dos 6.0% de share.

 

   A SIC acabou por vencer o primeiro dia 2018, por mais duas décimas que a TVI, que se ficou pelo segundo lugar nas audiências. A RTP1 não foi além do terceiro lugar, bem abaixo das privadas.

 

   Conheça outras curiosidades nas audiências do primeiro dia do ano:

 

   - Ao início da tarde, "À Procura de Dory" (SIC) venceu a estreia de "Mínimos" (TVI);

 

   - A meio da tarde, o primeiro filme de "Sozinho em Casa" (SIC) levou a melhor, por uma curta margem, sobre a "Missão Impossível: Operação Fantasma" (TVI). Os dois registaram uma audiência superior a “Creed: O Legado de Rocky” (RTP1);

 

   - À noite, "Zootrópolis" (SIC) não conseguiu vencer a novela "A Herdeira" (TVI), ainda assim, foi o segundo filme mais visto do dia;

 

   - A estreia de "Deadpool" (SIC) não conseguiu manter os números da animação da Disney e perdeu, em toda a linha, para a novela "Jogo Duplo" (TVI).

 

Os dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Incluem Vosdal.

facebooknovo.jpg

 

 

 

E os mais lidos do ano são...

 

facebooknovo.jpg

 

    2017 foi o melhor ano de sempre do "A Caixa que já foi Mágica", no que toca a vizualições, graças a si!

 

   É com enorme gratidão que lhe anuncio os três artigos mais lidos neste ano que está prestes a terminar.

 

   3º. Lugar.:

Diana Bouça-Nova: "Acho difícil regressar ao entretenimento"

12821382_1212640672098662_9050681567121964451_n.jp

 " Diana Bouça-Nova, de 31 anos, é jornalista da RTP desde 2015.  Apesar de fazer da informação a sua vida profissional, foi no entretenimento que, inicialmente, se destacou."

 

 

   2º. Lugar.:

Rol de elogios

CÁ-POR-CASA045.jpg

"Faz tempo que queria escrever sobre este programa, mas não queria que fosse apenas um rol de elogios sem verdadeiro conhecimento de causa."

 

 

   1º. Lugar.:

"No comments"

transferir.jpg

 

"Geralmente não me junto aos coros de críticas que se fazem ecoar por essas redes sociais fora. Desta vez, não posso ficar indiferente.";

 

   

   Já relativamente ao "Ficha Técnica", a entrevista mais lida foi...:

 

"Ficha Técnica" com Tiago Brochado: "Lembro-me muitas vezes da morte do Fehér"

coverFB_fichatecnica_V2.png

 

facebooknovo.jpg

 O "A Caixa que já foi Mágica" deseja-lhe um excelente 2018.

Saiba o que lhe reserva a televisão no final do ano

facebooknovo.jpg

 

fim-do-ano-pousada-de-lisboa.jpg

 

   

As principais televisões deram a conhecer aquilo que vão transmitir na última noite de 2017. Apenas a RTP 1 vai estar em direto, SIC e TVI apostam em programas gravados.

 

 

   De uma forma ou de outra, o teatro e a representação vão reinar nos três canais generalistas na passagem de ano. A estação pública inicia a noite com a comédia "Noivo Por Acaso", protagonizada por Fernando Mendes. Às 23H00, Filomena Cautela e Inês Lopes Gonçalves vão estar em direto do Terreiro do Paço, em Lisboa, para um especial do programa "5 Para a Meia-Noite".

 

   Também a SIC vai apostar em teatro. Desta feita, João Baião entra em cena com "Volta ao Mundo em 80 Minutos", de Filipe Lá Féria. Na plateia vão estar várias figuras bem conhecidas do universo do canal de Carnaxide, num especial de fim de ano.

 

   Por sua vez, a TVI aposta em "A Tua Cara Não Me É Estranha". Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira vestem-se de gala para receber vários convidados numa noite repleta de imitações. 

 

   Pedro Teixeira, Rita Pereira, Sofia Ribeiro, Mónica Jardim, Isabel Silva, Maria Sampaio, David Antunes, Sérgio Rossi, Darko, Melânia Gomes, Mico da Câmara Pereira, Toy e FF são os nomes que vão subir ao palco do programa.

 

   Ana Malhoa, Virgul, Nélson Freitas e os Calema também vão atuar, embora sem imitações.

 

facebooknovo.jpg

 

RTP 1 - O melhor e o pior de 2017

facebooknovo.jpg

 

2017 está a terminar e chegou a altura de fazer o tradicional balanço do ano. Uma escolha para o pior e uma escolha para o pior de cada canal. A RTP 1 é a primeira estação a entrar neste balanço.

 

 

 

   O Pior:

 

transferir.jpg

 

   Neste ano, a RTP apostou forte em séries. Um investimento alargado que nem sempre correu bem. Nenhuma delas foi um sucesso e só uma ou duas conseguiram resultados menos maus, como por exemplo, "Sim, Chef!". Já na qualidade, "Madre Paula" esteve uns furos acima de todas as outras.

 

   No conjunto das propostas do canal público, elejo "A Criação" como o pior do ano. Trata-se de uma fábula em que atores vestem, literalmente, a "pele" de animais. Esses animais trabalham numa agência criativa. Muito poucos foram os que viram, eu tentei e não consegui. É intragável, sem sentido e um mau investimento.

 

 

   O Melhor:

 

27949957_05_13T235759Z_1572185948_RC118BE1F190_RTR

 

   O acontecimento televisivo do ano pertenceu à RTP. Contra todos e até contra nós próprios, a estação, Salvador Sobral e Portugal venceram o Festival Eurovisão da Canção.

 

   Após um ano de interregno, o "Festival da Canção" voltou renovado para melhor. Elegeu-se "Amar Pelos Dois" para representar o país no certame europeu, mas sem grandes expetativas. A situação começou a mudar de figura quando Luísa Sobral, autora da letra da música, substituiu o irmão nos primeiro ensaios. O burburinho que se criou foi muito agradável. A partir daí, foi sempre a subir em direção à vitória. 

 

   Portugal venceu a Eurovisão 2017, com a melhor pontuação de sempre no que aos vencedores diz respeito, e será o país a organizar, pela primeira vez, o espetáculo em 2018.

 

   

   Artigos relacionados:

   SIC - O melhor e o pior de 2017;

   TVI - O melhor e o pior de 2017

facebooknovo.jpg

 

Manuel Luís Goucha apresenta "Secret Story 7"

facebooknovo.jpg

 

img_828x523$2017_02_26_12_25_18_39948_im_636323488

 

A escolha de Manuel Luís Goucha, para apresentar a nova temporada do reality-show, foi anunciada hoje.

 

 

   O apresentador do "Você na TV" foi o escolhido, pelo canal de Queluz de Baixo, para substituir Teresa Guilherme na apresentação de "A Casa dos Segredos".

 

   Várias hipóteses foram levantadas nos últimos meses, mas a decisão acabou por recair sobre Manuel Luís Goucha que, segundo o próprio, não demorou muito tempo a aceitar o convite.

 

   A versão portuguesa terá, pela primeira vez, um homem como anfitrião, tal como na versão francesa.

 

   Recorde-se que José Carlos Malato, da RTP, e João Baião, da SIC, terão sido convidados pela TVI para apresentar o formato.

 

   A sétima edição tem estreia apontada para o primeiro trimestre do próximo ano. Até lá, Manuel Luís Goucha terá ainda de gravar mais uma edição de "A Tua Cara Não Me É Estranha".

 

facebooknovo.jpg

 

 

"O Livro da Selva" dá maior pico de audiência no Natal

facebooknovo.jpg

 

Jungle-Book-The-(2016)-5-News.jpg

 

O filme da Disney deu o maior pico de audiência à SIC, no dia 25 de dezembro, tendo sido também o mais elevado do dia. A estação de Carnaxide foi a escolhida pelos portugueses no Natal deste ano.

 

 

   A história de Mogli, que passou no final de tarde de Natal, foi o segundo programa mais visto do dia, apenas atrás da novela "A Herdeira". Às 19H53 cerca de um milhão e meio de espectadores acompanhavam "O Livro da Selva".

 

   O primeiro lugar das audiências, no dia 25 de dezembro, ficou a cargo da história da TVI, o "Jornal das 8" ficou no terceiro lugar, seguido do "Sozinho em Casa 2" e o top ficou completo com "Jornal da Noite", da SIC.

 

   O canal de Pinto Balsemão liderou o dia com 25,5% de quota de mercado. A TVI registou 19,1% e a RTP 1 não foi além dos 9,8% de audiência média.

 

 

Os dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Incluem Vosdal.

facebooknovo.jpg

 

 

Portugueses escolhem a SIC na véspera de Natal

facebooknovo.jpg

 

free-cartoon-high-definition-ratatouille (1).jpg

 

A aposta da SIC no cinema rendeu-lhe a liderança nas audiências no dia 24 de dezembro.

 

 

   O canal de Carnaxide desconstruiu a sua grelha de programação e apostou no cinema. A TVI, habitual líder nas audiências, ficou-se pelo segundo lugar, seguida da RTP1.

 

   No total do dia a SIC registou 23% de quota de mercado, a TVI não foi além dos 20,3% e a RTP1 situou-se bem distante da concorrência com 11,6%.

 

   Ainda assim, o minuto que obteve mais espectadores na véspera de Natal foi o "Jornal das 8", da estação de Queluz de Baixo. Já o minuto mais visto da SIC coincidiu com a exibição do filme "Ratatui" e o da RTP1 com o compacto do "Natal dos Hospitais".

 

Os dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Incluem Vosdal.

facebooknovo.jpg