Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a televisão portuguesa

As novidades da RTP

facebook.jpg

 

18864727_W0533.png

 

   A RTP1 é o canal generalista que mais novidades tem para apresentar ao público. A estação do Estado já colocou as cartas na mesa e é a primeira a estrear um programa na nova temporada. A partir de setembro podemos esperar muita ficção, música e magia.

 

   Conheça então os novos programas da RTP1 e a datas de estreia das novas temporadas de outros formatos

 

 

 o impossivel.jpg

 

 Em “O Impossível”, com Luís de Matos, vai poder conhecer as mais recentes criações do ilusionista português. Todos os programas vão contar com a participação de alguns dos melhores mágicos do mundo e também com figuras públicas.

 

caminhos.jpg

 

Os protagonistas desta série documental são a portuguesa Isadora Alves e o galego Rubén Riós. A dupla vai percorrer o caminho português de Lisboa a Santiago Compostela, utilizando a bicicleta como meio de transporte.

 

 

the voice portugal.jpg

 

  "The Voice Portugal" regressa para a 5ª. temporada. Como em equipa que ganha não se mexe, além do prémio final, nada se altera no talent-show. Ainda assim, as surpresas, as histórias e as vozes prometem colar os portugueses ao ecrã.

 

 pais irmao.jpg

 

   O enredo da série centra-se num escândalo que estará em vias de ser revelado e o Governo nacional encontra-se receoso com essa possibilidade. Assim, com o objetivo de solucionar o problema, a Ministra da Cultura tem a ideia de produzir a melhor telenovela de sempre com o intuito de distrair o país.

   Maria João Bastos, Nuno Lopes, José Raposo e Margarida Marinho fazem parte do elenco da série cómica.

 

5 para meia noite.jpg

 

   O "5 Para A Meia-Noite" está de regresso para a 15ª. temporada, com muitas novidades, mas nos mesmos moldes da edição anterior. Filomena Cautela continua a ser o rosto do

late-night show de quinta-feira.

 

A CRIAÇÃO.jpg 

 

"A Criação" é uma sitcom sobre agências de publicidade, protagonizada por atores vestidos de animais de peluche.

 

 

1986.jpg

 

   "1986" é uma comédia romântica, de época, escrita por Nuno Markl. A ideia central é a de revisitar o ano de 1986 em Portugal à volta de 5 personagens principais. Nesta altura, Diogo Freitas do Amaral e Mário Soares disputavam as eleições presidenciais.

 

 

facebook.jpg

 

 

"Paga para ver" - O que veem os portugueses na televisão paga?

facebook

 

pagaparaver

   

   Três em quatro lares portugueses têm serviços de televisão paga, segundo dados do mais recente Barómetro de Telecomunicações da Marktest.

 

   A verdade é que, cada vez mais, se lê e se ouve que os portugueses estão a alterar os seus hábitos televisivos. Que veem mais séries ou mais filmes, preterindo as novelas. Que já começam a preferir os canais pagos em relação aos canais de sinal aberto. 

 

   Talvez esteja tudo certo, ou talvez não. Sabes o que é que os portugueses pagam para ver?

 

   De 12 a 25 de setembro, novelas, filmes, desenhos animados, debates futebolísticos e uma partida de Hóquei em Patins foram os programas com maior destaque a entrar num conjunto de 20 mais vistos.

  

 MaisCupão - Número em Portugal em códigos de descontos online

 

   

   O filme "Os Mercenários 2", emitido pelo canal Hollywood, foi líder de audiências na semana de 12 a 18 de setembro e o jogo de Hóquei em Patins disputado entre o SL Benfica e o FC Porto, emitido pela TVI24, alcançou o pódio na semana seguinte.

 

 

 

   As novelas são também líderes na televisão paga. "Os Dez Mandamentos - Nova Temporada", da TV Record, e "A Escrava Isaura", da mesma televisão mas emitida p´la CMTV, são as mais vistas em Portugal. A repetição de "Morangos com Açucar III", no Panda Biggs, e "Êta Mundo Bom!", da Globo também figuram no "top".

 

 

   MaisCupão - Número em Portugal em códigos de descontos online

   

 

   Os debates sobre futebol também não ficam de fora. "Prolongamento" e "Mais Bastidores", da TVI24, juntam-se ao "Play-Off" e ao "Dia Seguinte" da SIC Notícias no segmento dos mais vistos.

 

 

   

   O Panda é dono e senhor dos "Top 20" semana após semana. É o canal que mais programas coloca no ranking. Entre eles destacam-se os seguintes: "Patrulha Pata", "Ruca", "Dora e os amigos na cidade", "Masha e o Urso", entre outros. Na secção dos desenhos animados, o Disney Junior e o Disney Channel também conseguem figurar na lista.

 

   Em duas semanas, nas contas dos mais vistos da televisão paga, não há séries, não há talent ou reality-show´s, não há culinária, não há noticiários, não há documentários e filmes apenas três.

 

   Os hábitos televisivos dos portugueses estão assim tão diferentes? Acho que não!

facebook

 

   

  

  

Fora do retângulo - O Regresso do "Engenhocas"

 

facebook

 

foradoretangulo

 

  Como é que o MacGyver escapa de um deserto apenas com fruta? A fruta tem vitamina, ele pega na vitamina, retira a "vita" e explode a "mina". A explosão causa um terremoto. Ele retira a "terra", monta a "moto" e vai pra casa. Esta era uma das piadas mais ouvidas nos anos de 1980.

 

  O agente secreto MacGyver foi um fenómeno em todo o Mundo e Portugal não foi exceção. A série americana protagonizada por Richard Dean Anderson está de regresso 31 anos depois.

Lucas-Till-And-George-Eads.jpg

 

 

  O "engenhocas", nome pelo qual era e é conhecido, regressa ao Estados Unidos da América a 23 de setembro. Lucas Till vai ser o novo MacGyver e não vem sozinho. O herói, nesta nova versão, chega acompanhado por um melhor amigo, um guarda-costas e uma colega "hacker" que o apoia em problemas informáticos. 

 

  Lee David Zlotoff, o criador da série original, é um dos produtores deste "remake" que tem tido um regresso atribulado. A CBS, canal detentor dos direitos televisivos, rejeitou o episódio-piloto. Em consequência, convidou James Wan, responsável por filmes como "Velocidade Furiosa 7" e "A Evocação", para refazer os capítulos.

macgyver-richard-dean-anderson-photo.jpg.600x315_q

 

 

  A primeira série de MacGyver contou com sete temporadas exibidas entre 1985 e 1992. Em Portugal, foi transmitida pela RTP, mais tarde pela TVI e, atulamente, é pontoalmente resposta na RTP Memória. Até ao momento não se sabe quando e a que canal chegará a nova versão ao nosso país.

 

  Fica a conhecer o trailer:

 

 

 

facebook

 

 



RTP à americana

 

facebook

 

  A RTP decidiu adaptar o modelo televisivo americano e ter,  a partir de hoje, uma série diferente por dia no horário nobre.

 

  De terça a sexta-feira, o canal público passa a exibir quatro novas séries no horário das 22H00.

 

  Exige-se qualidade a todos os níveis. A estação do Estado tem apostado em vários produtos deste género, embora com pouco ou nenhum sucesso. É que fazer por fazer, só para ser diferente, não chega. São precisas boas histórias, bons atores, bons cenários, boa fotografia e boa realização. 

 

  É bom que o canal público aposte em algo que o difere dos privados.

 

  Obviamente que qualquer uma desta séries será abafada, se pensarmos em audiências, por qualquer uma das novelas da concorrência. Felizmente, um canal público não se pode, ou não se deve, reger por bons ou maus resultados audiométricos.

 

  São estas as novas apostas da RTP1:

 

  "Mulheres Assim" (terças-feiras);

 

 

  Esta história retrata o dia-a-dia das mulheres de hoje. Joana Seixas, João Reis, Nuno Pardal, António Pedro Cerdeira, Maria Vieira e Mariana Pacheco são apenas alguns dos nomes que fazem parte do elenco.

 

mulheresassim

 

 

 

"Os Boys" (quartas-feiras);

 

 

  Com o elenco encabeçado por Filipe Duarte, esta série é uma comédia política . A realização está a cargo de Tiago Guedes, também responsável pelo filme "Coisa Ruim".

 

osboys

 

 

 

"Dentro" (quintas-feiras);

dentro.png

 

  Um estabelecimento prisional feminino português serve de mote para esta série. Vera Kolodzig vai dar vida à protagonista da história que promete mostrar as mais variadas situações vividas numa prisão.

 

dentrortp

 

 

 

"Miúdo Graúdo" (sextas-feiras);

    Miguelito é um menino prodígio e inventa uma máquina do tempo capaz de trazer algo para o presente. O que aconteceu é que ele trouxe-se a si próprio, 20 anos mais velho.

 

miudograudo

 

 

   Virgílio Castelo, responsável pela ficção da RTP, afirma que o objetivo destas apostas é "diversificar e captar públicos diferentes". As estreias acontecem já a partir de dia 6 de setembro.

 

 

facebook

 

 

  

Novidades em setembro

  O "A Caixa que já foi Mágica" regressa em setembro. Depois da pausa para férias, o blog volta com uma nova imagem e novas rubricas.

 

  Fica a conhecer as novidades:

 

 

foradoretangulo.jpg

 

  Geometricamente falando, Portugal é mais parecido com um retângulo, isso todos sabemos. O que não sabemos, muitos vezes, é aquilo que se passa fora dele. Algumas novidades da televisão internacional vão passar por aqui.

 

 

lembrastedisto.jpg

 

 

  Quantas vezes, em conversa, não recordamos programas, novelas, séries ou personagens? No "Lembras-te disto?" vamos recordar tudo aquilo que tornou a televisão na "caixa mágica".

 

 

pagaparaver.jpg

 

  Já poucos lares em Portugal não têm televisão paga. No "Paga para ver" será colmatada uma falha do blog. Os canais por Cabo terão mais destaque.

 

 

estreiadomes.jpg

 

  Algumas das novidades da televisão portuguesa vão merecer destaque como a "Estreia do mês"Qualquer programa, novela, série ou filme terá lugar nesta rubrica.

 

  Além das novidades, as habituais crónicas e notícias são para manter. Também o Top 5 das audiências será atualizado diariamente na barra lateral do blog.

 

  Já sabes, em setembro, há mais na "caixa"!

 

facebook

 

 

 

 

 

Agora a praça

 

 

Na época em que a Praça da Alegria passou dos estúdios do Porto para Lisboa e mudou de apresentadores critiquei a RTP. Desvirtuaram um formato com anos de emissões e atiraram Jorge Gabriel e Sónia Araújo para os sábado à tarde.

 

 

 

Os resultados não só não subiram como ainda desceram e o programa das manhãs perdeu qualidade. Mais tarde, a saída de João Baião para a SIC motivou o canal público a criar o Agora Nós. Um bom programa, com um belo cenário e que manteve Tânia Ribas de Oliveira.

 

Com a nomeação da nova administração da RTP, a Praça da Alegria vai regressar já em setembro com os apresentadores que o fizeram durante anos e em direto do Porto.

 

Esta decisão parece-me, sobretudo, um bater de pé da nova direção querendo mostrar que vai fazer o que bem lhe apetecer, custe o que custar.

 

No meio de tudo isto, espero que não coloquem Tânia Ribas de Oliveira na prateleira. É uma das melhores apresentadoras da atualidade e merece um lugar de destaque.

 

Não sou contra nem a favor a esta reviravolta mas o regresso da "Praça" é apenas e só uma espécie de vingança de Daniel Deusdado, diretor de programas da RTP, que fazia parte da equipa do Norte antes do seu novo cargo.

 

 

Gostou? Faça "like" na página do blog no Facebook e não perca os próximos artigos!

Vira o disco...

 

As principais televisões generalistas já anunciaram quais vão ser os programas de domingo à noite depois do verão e ele ainda mal começou.

 

The Voice Kids , Factor X 2 e Secret Story 5. Nenhuma novidade, portanto.

 

 

A RTP1 descobriu, com o programa de música, que também consegue ter uma palavra a dizer nas audiências de domingo. O The Voice Portugal quase triplicou os resultados que a estação fazia e consegue, várias vezes, ficar à frente da concorrência sobretudo da SIC.

 

A aposta neste formato mas com crianças é uma boa ideia. O público português gosta de ver e ouvir meninos e meninas a cantar. O único senão é que o The Voice vai ficar desgastado e regressar a ele no próximo ano será uma burrice e que pode até "matar" o talent-show de vez.

 

A SIC também volta a apostar num formato de sucesso, pelo menos nas primeiras emissões. O Factor X foi o único programa do canal de Carnaxide que conseguiu ser mais visto, em algumas emissões, que a Casa do Segredos da TVI. O formato vai ser alterado, provavelmente terá mais uma categoria, passando assim a quatro (raparigas, rapazes, + de 25 anos e grupos) como aconteceu na versão americana de 2014 que, por curiosidade, foi a última naquele país já que foi cancelado.

 

Podiam ter encontrado outro formato para encarar a concorrência mas preferiu jogar pelo seguro. Apesar do desgaste do programas de música graças ao The Voice Portugal e ao Rising Star, o que me parece ser certo é que, ainda assim, o Factor X pode garantir resultados agradáveis embora saibamos, eu e a própria SIC, que muito dificilmente vai chegar para destronar a TVI.

 

TVI essa que, de todos, é a que menos vai arriscar. Deu um realtivo descanso ao Secret Story, cerca de nove meses, e fá-lo regressar para a sua 5ª. edição. O canal de Queluz de Baixo já arriscou em Rising Star e não correu bem e a suas novelas ainda não estão a ganhar às da SIC, por isso, nada melhor do que um reality-show para alavancar toda a programação.

 

Apesar de uma ou outra alteração nos formatos teremos mais do mesmo até ao final deste ano.

 

A "luta" entre a RTP e a SIC poder vir a ser renhida mas, mais tarde ou mais cedo, a TVI vai ficar a vê-las ao longe.

Herman Total

 

Esta quarta-feira segui o Verão Total da RTP1 durante quase toda a tarde. Não o fiz porque adoro o formato mas antes porque Herman José se estreou no daytime do canal público.

 

Sou suspeito, sou fã de quase tudo o que o humorista faz e, mais uma vez, fiquei colado ao ecrã algo que não aconteceria se fosse outro apresentador qualquer a lá estar mesmo que o local, os entrevistados e os cantores fossem os mesmos.

 

 

O Herman desconstrói qualquer conversa com o seu lado humorístico não deixando, contudo, de ser um bom entrevistador e de fazer as perguntas certas. Aquele Verão Total em Borba tinha tudo para ser uma programa pachorrento e não o foi graças à sua presença.

 

Foi uma estreia auspiciosa e que revela que, com mais algum treino, o humorista está preparado para assumir as tardes da RTP em setembro.

 

Colocando de lado esta minha satisfação, há algo em que tenho de ser sincero. Não sei se o público que geralmente vê os programas da manhã e das tardes da estação do Estado se identificam com a apresentação de Herman José. Esse público é envelhecido e de classes mais baixas e, apesar de saber que o apresentador dá cartas nos espectáculos ao vivo e com vários tipos de público, não me parece que o da RTP se identifique tanto com o Herman como com o José Carlos Malato, por exemplo.

 

A esta hora a que escrevo não sei como foram as audiências mas suponho que não se tenham alterado de forma significativa para o bom ou para o mau.

 

Ainda assim, isto mostra que a RTP quer alagar o seu espectro relativamente ao público que a segue e que se está a mexer para, no meio do mesmo, trazer algo de novo.

 

Eu gosto desta aposta e quem gosta do humorista agradece.

O regresso de Moura Guedes

A maior surpresa das novas apostas televisivas para a rentrée vem de onde menos esperava, da RTP. O Quem Quer Ser Milionário? está de volta para mais uma edição a 23 de setembro e a apresentadora é Manuela Moura Guedes.

 

 

 

 

A jornalista está afastada da antena desde setembro de 2009 e deixou a TVI um mês mais tarde. Recorde-se que a jornalista começou a carreira na estação pública no entretenimento e só depois se mudou para a informação.

 

Primeiro que tudo, é ridículo que um canal que anda a despedir trabalhadores de várias formas vá "buscar fora" aquilo que tem em "casa".

 

Excluindo este reparo, não vejo problema algum neste regresso. Posso não adorar o trabalho de Manuela Moura Guedes como jornalista mas tenho de admitir que é uma boa profissional de televisão. A mulher de José Eduardo Moniz vai fazer de tudo para estar à altura do desafio, que vai ser grande, sobretudo porque vai ter os holofotes virados para si. É que com esta escolha, a RTP consegue provocar interesse generalizado num programa que, com qualquer outro apresentador do canal, passava despercebido.

 

Esta não é a primeira vez que o Quem Quer Ser Milionário? tem uma mulher e uma jornalista na condução. Maria Elisa também já ocupou o lugar em tempos.

 

As portas de televisão voltaram a abrir-se para Moura Guedes. Vai ser estranho, nos primeiros tempos, vê-la a conduzir o programa mas não me parece que vá desiludir. Há algo que já é certo: como sempre, está a dar que falar.

 

Mexe-te melhor!

A SIC já escolheu o formato que vai fazer frente à terceira edição de Secret Story, na TVI. É uma boa escolha, sobretudo para a concorrência. O reality-show encontrado pelo canal de Carnaxide é uma mistura entre Peso Pesado e Dança Comigo.

 

É verdade! Toca a Mexer foi o nome selecionado para a versão portuguesa do americano Dance Your Ass Off. Basicamente, o programa mostra uma dúzia de concorrentes que, de semana para semana, tentam perder peso e, ao mesmo tempo, competem na pista de dança ensaiando coreografias para apresentar em cada gala. Ganha o concorrente que tiver perdido mais peso e que tenha alcançado boas pontuações nas suas atuações.

 

Júlia Pinheiro já fez saber que não tem disponibilidade para fazer dois programas ao mesmo tempo: o da manhã e este. Portanto, os nomes mais falados para ocupar o cargo de apresentador são: Bárbara Guimarães, Diana Chaves ou a dupla de Ídolos, João Manzarra e Cláudia Vieira.

 

Com estas informações apenas, ou muito me engano, ou este Toca a Mexer está condenado ao fracasso. A SIC precisava de algo diferente ou bem mais polémico para combater a Casa dos Segredos.

 

Já devia ter percebido isso com a segunda edição de Peso Pesado que foi torcidada pelo reality-show da TVI. Este programa vem na altura errada por isso,  está longe de ser o que a estação precisa em setembro.

 

Depois, está em causa a escolha do apresentador/a. Júlia Pinheiro poderia ser a única cara do canal a conseguir "puxar" este programa para resultados razoáveis, mas ou está a fazer bluff ou não o vai mesmo apresentá-lo. Bárbara Guimarães, já se viu, não consegue fazer com que os programas tenham boas audiências, Diana Chaves tem pouca experiência no ramo e o par do Ídolos está desgastado.

 

Com esta escolha, ganha a TVI que, assim, tem as portas do sucesso ainda mais abertas. Para bem da SIC é bom que esta previsão esteja errada, mas tudo aponta para o contrário. A ver vamos!