Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A caixa que já foi mágica

Um blog de opinião sobre a televisão portuguesa

Trocas e baldrocas

Esta foi uma semana cheia de novidades. A maior delas, e que acarreta outras duas, é a ida de João Baião para a SIC. Esta possibilidade já corre na imprensa há algum tempo mas a revista Notícias TV, que não costuma falhar, deu como certo o regresso do apresentador ao seu antigo canal já em abril.

 

Entretanto, na gala de aniversário da RTP, Baião disse qualquer coisa como: "já me encontraram substituto mas eu ainda aqui estou". Uma frase que não é a de quem está de saída.

 

Tornando-se essa possibilidade numa certeza, é uma boa jogada do canal de Carnaxide. A SIC não tem apresentadores suficientes para assegurar duplas no daytime. Foram buscar João Paulo Rodrigues por isso mesmo. Existe José Figueiras que, embora seja bom comunicador, já pouco cativa e João Manzarra não serve para estes horários.

 

João Baião é uma figura popular em todo o sentido da palavra. Popular porque se tornou um ícone desde o saudoso Big Show SIC e popular porque agrada ao público mais velho. Se for para as tardes do canal, vai bem. É necessário refrescar e alegrar um horário e Conceição Lino, com o Boa Tarde, não está a dar conta do recado.

 

Por sua vez, a RTP, fica com dois problema em mãos. Perde um dos seus principais rostos e fica com a Praça da Alegria sem um membro da dupla. A opção é, segundo consta, recrutar Jorge Gabriel para formar par com Tânia Ribas de Oliveira. Não me parece o mais correto. Que Jorge regresse mas com Sónia Araújo que estavam lá bem. Só que Jorge Gabriel está no lugar de José Carlos Malato que deixou de vez a condução do Portugal no Coração.

 

Por isso, também a Notícias TV, avança que Herman José é uma hipótese. O humorista também já afirmou que, se for essa a vontade da direção, que o fará. Quanto a mim, é uma boa ideia. Herman é um grande humorista mas também um grande conversador. É, muito provavelmente, um dos melhores a fazer talk-show em Portugal e seria também uma lufada de ar fresco no canal público que precisa de terminar com o enfadonho Portugal no Coração.

 

Ainda assim, Herman não pode ir sozinho. Que leve consigo, aí sim, Tânia Ribas de Oliveira que já demonstrou ter uma grande cumplicidade com o humorista sempre que este é convidado num dos seus programas.

 

Tudo isto são "ses". Tudo isto são trocas e baldrocas de uma televisão portuguesa que não tem figuras masculinas suficientes enquanto tem "criado" apresentadoras a rodos.

 

A ver vamos como serão os próximos meses.

1 comentário

Comentar post