Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A caixa que já foi mágica

Blog de opinião sobre a televisão portuguesa

"Terra Nossa" sobe e ameaça Goucha

mw-1240.jpg

facebooknovo.jpg

 

Ao segundo episódio o programa da SIC subiu nas audiências e esteve na liderança das audiências durante vários momentos, na noite do passado domingo.

 

   O "Terra Nossa" conseguiu subir os resultados face à sua estreia. Na noite de ontem, o formato apresentado por César Mourão teve picos de liderança e terminou o dia em segundo lugar nas audiências. Os cerca de 1 milhão e 99 mil espectadores renderam à SIC uma quota de mercado de 22,7% e um rating de 11,3%.

 

   Apesar de ter perdido para a concorrência durante alguns períodos, o "Secret Story: O Reencontro" foi o programa mais visto de 3 de junho. Nos momentos iniciais em que teve a concorrência do "Terra Nossa", o spin-off da TVI registou 12,2% de audiência média e 24,4% quota de mercado. Querem estes valores dizer que Manuel Luís Goucha tinha fidelizados cerca de 1 milhão e 180 mil espectadores.

 

   Na RTP1, a estreia do filme "A Mãe é Que Sabe" não foi além dos cerca de 490 mil espectadores em média.

 

   O "Terra Nossa" está inserido na programação especial que a SIC preparou para acompanhar o "Mundial" de futebol de 2018. César Mourão percorreu várias localidades para conhecer as suas gentes e ouvir as suas histórias, com o objetivo de criar um espetáculo de stand-up comedy exclusivo em torno dos jogadores da seleção nacional.

 

Alguns dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Incluem Vosdal.

facebooknovo.jpg

 

"Secret Story" despede-se na liderança das audiências

Foto: Inês Gomes Lourenço

facebooknovo.jpg

 

A derradeira gala que deu por terminada a sétima edição do reality-show da TVI foi acompanha, este domingo, por mais de um milhão e 460 mil espectadores.

 

 

   Tiago foi o escolhido pelos portugueses para vencer a primeira "Casa dos Segredos" apresentada por Manuel Luís Goucha. A grande final do formato conseguiu 15,1% de audiência média e 33,3% de quota de mercado, tornando-se no programa mais visto do dia.

 

   Ao todo, uma média de um milhão e 465 mil espectadores assistiram ao programa da TVI. 

 

   A edição deste ano conseguiu mais de cerca de 290 mil espectadores que a final de 2016, apresentada por Teresa Guilherme na passagem de ano.

 

   Na SIC, a estreia de "Terra Nossa" vice-liderou ao início da noite. A emissão do programa apresentado por César Mourão foi seguido por uma média de 975 mil espectadores. Este valor corresponde a 10,1 % de audiência média e 20,4% de quota de mercado.

 

   O "Secret Story" regressa, já esta terça-feira, com o subtítulo "Reencontro" que dá o mote ao regresso de várias caras conhecidas do formato à casa mais vigiada do país.

 

Alguns dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Incluem Vosdal.

facebooknovo.jpg

 

A Goucha o que é de Goucha

manuel-luis-goucha.jpg

 

facebooknovo.jpg

 

   A 7ª. edição do "Secret Story" não é um sucesso. Vence aos domingos, com uma cada vez mais uma curta distância para concorrência, vence no dia das "Nomeações", não muito longe de "Espelho D´Água" e, esporadicamente, lidera nos especiais emitidos ao longo do dia.

 

   Basicamente, o programa vence nos horários onde a TVI já vencia e os melhores resultados surgem nos momentos em que Manuel Luís Goucha está presente. A atravessar uma das melhores fases da sua carreira, o apresentador é, por si só, um captador de audiências.

 

   O "Secret Story" está gasto. A TVI e a Endemol, rainhas e senhoras do formato reality-show, estagnaram. Parece que já tudo foi inventado. Ambas esforçaram-se por fazer mais, mas nem sempre mais é sinónimo de melhor.

 

   É por estas razões que Goucha merece uma vénia. Com uma carreira de anos, sólida e já sem ter de provar nada a ninguém a não ser a si mesmo, aceitou o desafio de apresentar, pela primeira vez, um reality-show. Podia ter sido o principio do fim. Não foi. A graça certa no momento certo, a abordagem certa em momentos mais sensíveis e a classe que lhe é característica imprimiram às galas do "Secret Story" uma nova vida.

 

   A Goucha o que é de Goucha. Se a "Casa dos Segredos" tem algum sucesso, esse sucesso deve-se maioritariamente a ele.

 

facebooknovo.jpg

 

 

 

"Ele vai dar-nos uma sova tremenda". Pois vai!

youre-back-in-the-room-s2-ep2e34565076206507620.jp

 

facebooknovo.jpg

 

 

   Júlia Pinheiro comentou a escolha de Manuel Luís Goucha para apresentar o "Secret Story 7", na TVI. A apresentadora mostrou-se feliz e admitiu uma futura derrota da SIC frente ao reality-show. Júlia falou como amiga, mas não se devia ter esquecido de que é Diretora Executiva de Conteúdos da maior concorrente do canal de Queluz.

 

   Ao assumir uma derrota antecipada está a deitar por terra a nova aposta da estação de Carnaxide. Trata-se de "You´re Back In The Room" ou "Divertidamente", em Portugal. É um concurso onde os concorrentes terão de realizar várias provas. A verdadeira novidade deste "game-show" é a de que os participantes vão ser hipnotizados antes das provas. 

 

   A SIC escolheu João Manzarra para apresentar e fez mal. Manzarra já não é o que era e também não o quer ser. Deixou de ser o jovem promissor do canal e um apresentador que conquistava o público como o fez na sua primeira edição de "Ídolos". Manzarra já não tem força e carisma suficiente para aguentar um grande formato, muito por culpa da gestão de carreira que fez nos últimos anos. 

 

   O formato até é interessante e divertido, mas não vai chegar para fazer frente à TVI. Ainda para mais, a apresentação deveria ficar a cargo de uma figura de maior peso. Têm João Baião, que vai deverá ficar sem trabalho em fevereiro, e a própria Júlia Pinheiro podia ter-se chegado à frente. 

 

   Por outro lado, o programa terá a fortíssima concorrência de um "Secret Story" renovado e com o fator surpresa que é a apresentação de Manuel Luís Goucha.

 

   A SIC não iria evitar a derrota. Poderia era não perder por muito.

 

facebooknovo.jpg

 

César Mourão dá liderança à SIC

 

facebooknovo.jpg

 

mw-1240.jpg

 

"D´Improviso" estreou, este domingo, no horário nobre da SIC. O programa apresentado por César Mourão liderou perante a concorrência do "The Voice Portugal", da RTP1, e do "Masterchef Júnior", da TVI.

 

 

   Os domingos da SIC foram entregues a César Mourão e os resultados não poderiam ter sido melhores. Depois de amargar na terceira posição nas audiências de horário nobre de domingo, com a exibição de "Vale Tudo", o canal de Carnaxide terminou com o jejum.

 

   "D´Improviso" conquistou uma média de 1 milhão e 202 mil espetadores. Estes números correspondem a 12,4 % de rating e 24,8% de quota média de mercado.

 

   Na TVI, o regresso de "Masterchef Júnior" não foi além da quarta posição entre os programas mais vistos do dia, baixando os valores deixados pelos "Especiais" do "Apanha Se Puderes". Em média, cerca de 1 milhão espetadores acompanharam as aventuras dos novos pequenos cozinheiros. Em termos de audiências, este resultado equivale a 10,4% de rating e 21,7% de quota média de mercado.

 

   O "The Voice Portugal", da  RTP1, passou a ser a terceira opção na noite de domingo. Os "Tira-Teimas" registaram 9,1% de audiência média e 19,7% de share, ou seja, cerca de 880 mil espetadores viram o talent-show da estação do Estado.

 

   Ainda assim, o "Jornal das 8", da TVI, foi o programa mais visto de domingo, dia 19 de novembro.

facebooknovo.jpg

 

Os dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Inclui Vosdal.

"Just Duet" baixa números da estreia

facebook.jpg

 

 

João Manzarra, apresentador do "Just Duet"

 

 

O novo programa da SIC piorou as audiências na segunda emissão que foi para o ar ontem.

 

 

   Os resultados da estreia já tinham sido dramáticos para o canal de Carnaxide, mas "Just Duet - O Dueto Perfeito" conseguiu fazer pior no domingo. Apenas 488 mil e 900 espetadores, em média, seguiram o talent-show que junta Agir, Paulo de Carvalho, Gisela João e Héber Marques no júri. Este número corresponde a 5 % de audiência média e a 11,2% de share.

 

   O horário nobre de domingo foi, mais uma vez, liderado por "Pesadelo na Cozinha". Apesar de ter baixado os valores da semana anterior, o programa da TVI conquistou cerca de 1 milhão e 426 mil espetadores. Em termos audiométricos, alcançou os 14,7% de audiência e os 32,9% de share.

 

   Quem incomodou o percurso vencedor do chef Ljubomir Stanisic foi o "Got Talent Portugal". O programa da RTP1 melhorou a performance de domingo passado ao registar 10,3% de audiência e 23% de share. Em média, o "caça-talentos" foi acompanhado por 996 mil 500 e espectadores.

 

   As "sirenes" já se devem ter feito ouvir na SIC. As audiências registadas pelo "Just Duet" são impensáveis para um programa que a estação esperava que fosse líder.

 

Dados de audiência Total Dia (Live+VOSDAL) para 17 de abril de 2017. Os números apresentados são da responsabilidade da GfK/CAEM.

programaçaoSIC.jpg

 

 

facebook.jpg

 

 

 

"Just Duet" com estreia desastrosa - audiências e primeira opinião

 

facebook.jpg

 

"Just Duet" - cenário

 

   O novo programa da SIC não foi além dos 610 mil espetadores, em média, na estreia do passado domingo.

 

   

   O "Just Duet - O Dueto Perfeito" registou uma estreia desastrosa em termos audiométricos. Foi apenas o 9º. programa mais visto do dia e ficou em 3º. lugar no horário nobre de domingo. Os 6,3% de audiência média e os 12,8% de share, correspondem a cerca de 609 mil e 200 espetadores.

 

  O novo formato da SIC não conseguiu superar os antecessores. Tanto a despedida do "Agarra a Música", como o especial do "Não Há Crise!" registaram audiências superiores às do talent-show.

 

   Por sua vez, o "Pesadelo na Cozinha" conseguiu o seu melhor resultado pela 5ª. vez consecutiva. O programa da TVI alcançou 16,6 % de audiência média e 34,3% de share, o que equivale a 1 milhão e 604 mil espectadores.

 

   Já o "Got Talent Portugal" registou uma descida comparativamente com a semana passada. O "caça talentos" da RTP1 chegou aos 8,6 % de rating e aos 18,1% de share. A média de 834 mil espetadores garantiram o segundo lugar, no horário nobre de domingo, para a estação do Estado.

 

   A estreia do "Just Duet" não podia ter começado pior. Este resultado é pouco auspicioso quando, para a SIC, esta era uma aposta capaz de liderar.

 

   O programa é uma desilusão. Parece-me a versão "pobre" do "The Voice" e com uma premissa bem menos apelativa.

 

   O formato peca pela falta de emoção, pela falta do fator surpresa e pela falta de dinâmica. 

 

   O júri, com todo o respeito pelos seus constituintes, não é apelativo. Infelizmente, o público mais jovem não conhece ou não está muito interessado em ouvir uma figura como Paulo de Carvalho. Gisela João e Héber Marques ainda não são carismáticos o suficiente. Já o Agir é, de todos, as melhor escolha por ser um dos cantores mais badalados atualmente.

 

   João Manzarra, o apresentador, é o menos culpado do mau resultado, mas demonstra o que já sabia. Há muito que deixou de ser um valor seguro e apelativo para o público.

 

   Por fim, o palco é bom, mas todo o restante cenário causa-me estranheza por ser demasiado escuro.

 

    O "Just Duet - O Dueto Perfeito" começou muito mal e só pode subir os seus resultados nas próximas semanas. É muito difícil descer mais baixo e, se acontecer, será uma situação muito dramática e constrangedora para a SIC.

 

Dados de audiência Total Dia (Live+VOSDAL) para 09 de abril de 2017. Os números apresentados são da responsabilidade da GfK/CAEM.

 

programaçaoSIC.jpg

 

facebook.jpg

 

 

 

 

Revelados jurados do "Just Duet"

facebook.jpg

 

17103274_187916655032150_4603222104873957944_n.png

 

Foram anunciados, hoje, os quatro membros do júri do novo programa da SIC.

 

   "Just Duet - O Dueto Perfeito" é o novo formato do canal de Carnaxide que promete encontrar novos talentos no mundo da música. O painel de jurados conta com quatro estreias nestas andanças. Paulo de Carvalho, Agir, Gisela João e Héber Marques foram os escolhidos para jurados e parceiros dos concorrentes.

 

   João Manzarra regressa aos ecrãs para apresentar o formato produzido pela Fremantle, depois de quase dois anos de ausência.

 

   A estreia do "Just Duet - O Dueto Perfeito" está agendada para o início de abril e é a grande aposta da SIC para os domingos à noite. As gravações começaram esta segunda-feira.

 

facebook.jpg

 

 

 

 

Valeu o esforço

   

facebook.jpg

 

AM_2017_01_15-89.jpg

 

 

   O "Agarra a Música" estreou na SIC com a intenção de levantar os números da estação, no horário nobre de domingo. Gabriela Sobral, futura diretora de programas do canal, afirmou que esta é mesmo uma aposta para ganhar.

 

   Alguns programas depois, confirmo o que sempre achei desde início. Não chega!

 

   É divertido, interativo e diferente. Obviamente que tinha e tem tudo para subir os números do canal, mas não chega para ganhar. Em cinco emissões já exibidas, liderou apenas numa delas, mas não foi o programa mais visto daquele dia.

 

   Cláudia Vieira e João Paulo Rodrigues fazem uma boa dupla. Rui Unas e Luciana Abreu são os capitães das duas equipas em jogo em cada programa. O ator/apresentador está igual a si próprio, eu gosto. A atriz/cantora está melhor do que no "Vale Tudo", ainda assim, continua exagerada e a esforçar-se demasiado para ter piada.

 

   Mesmo com momentos musicais, que enriquecem o programa, e a aplicação para os smartphones, algo deixa a desejar neste "Agarra a Música". Uma das razões para isso é a de que o "star system" da SIC não está tão bem como o da TVI, por exemplo. Não há figuras que o grande público tenha mesmo interesse em ver.

 

   Além disso, o formato acaba por ser demasiado básico e pouco diferente de emissão para emissão. Não é possível haver o fator novidade em todas as emissões. É aquilo e aquilo mesmo.

 

   Foi um bom esforço, não posso negar, mas se a SIC quer ganhar tem de apostar em algo arrasador. É que a RTP e a TVI ainda não lançaram as suas grandes apostas.

 

programaçaoSIC.jpg

 

 

facebook.jpg

 

 

Doces e salgados

   

facebook

 

   Recentemente, a RTP1 e a SIC apostaram em programas de culinária no horário nobre.

 

 

   "A Minha Mãe Cozinha Melhor Que A Tua" foi o formato escolhido pelo canal do Estado para as noites de sábado e marcou o regresso de José Carlos Malato ao mais importante horário das televisões. O programa consiste, resumidamente, em colocar alguém que não sabe cozinhar a receber indicações de alguém que sabe. Ao final de 25 minutos de prova aquele que não sabe cozinhar tem de dar a provar um prato aos adversários e outro à jurada Filipa Gomes, vinda diretamente do 24 Kitchen.

 

   O concurso, até agora apenas com conhecidos/famosos, tem um prémio de 1000 euros que são entregues a uma Instituição escolhida pelo vencedor.

 

   O programa é uma boa aposta da RTP. É descontraído, divertido e dinâmico. Basicamente, aquilo que se quer para um sábado à noite. A estreia fez tremer os privados e subiu os números da estação pública, mas os resultados têm vindo a piorar semana após semana. 

 

programaçaoRTP.jpg

 

 

 

 

   A SIC apostou em "Best Bakery - A Melhor Pastelaria de Portugal" para as noites de domingo, no qual Ana Guiomar se estreou como apresentadora. O programa propõe-se a escolher, tal como o nome indica, a melhor pastelaria do país, correndo-o de lés a lés para a encontrar.

 

   É um erro. Não porque seja mau ou porque esteja mal feito. Só que, para concorrer com o "The Voice Portugal" e as galas do "Secret Story", a SIC precisava de bem mais. Isto porque lhe falta ritmo, falta-lhe drama, falta-lhe suspense, falta-lhe tudo o que a concorrência tem. Aliás, este formato faria muito mais sentido na RTP. Foi mais um tiro no pé do canal de Carnaxide que se afasta, cada vez mais, da concorrência aos domingos à noite. 

 

   Uma última nota positiva para Ana Guiomar que está a fazer um brilharete como apresentadora.

 

programaçaoSIC

 

   Em suma, os canais generalistas renderam-se a mais dois dignos programas culinários. Os resultados é que não estão a ser doces, sobretudo para a SIC.

 

facebook