Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A caixa que já foi mágica

Blog de opinião sobre a televisão portuguesa

Em noite de casamentos, Ljubomir bate recorde de audiências

Fotografia.: tvi.pt

facebooknovo.jpg

 

"Pesadelo na Cozinha" foi para o ar, este domingo (28/10), e voltou a bater o recorde de audiência que tinha alcançado na semana anterior. O programa da TVI deixou o "Casados à Primeira Vista" a quase meio milhão de espectadores de distância.

 

Desde que estreou a segunda temporada, Ljubomir Stanisic ainda não tinha conseguido um número tão elevado de público como o deste domingo à noite. Ao todo, o formato que promete ajudar os restaurantes portugueses a melhorar os seus serviços, foi seguido por uma média de 1 milhão e 469 espetadores. Com início às 21H15, o programa marcou marcou 15.2% de rating e 29.8% de quota de mercado.

 

Apesar da vice-liderança, o "Casados à Primeira Vista" não conseguiu manter os números da estreia. Ao segundo episódio emitido ao fim-de-semana, o reality-show foi seguido por 1 milhão e 41 mil espetadores, em média. O programa da SIC registou 10.8% de audiência média e 21.7% de quota de mercado.

 

Na perspetiva contrária ao "Pesadelo na Cozinha" esteve o "The Voice Portugal". O formato da RTP1 não foi além dos cerca de 787 mil espectadores, em média, o pior resultado da nova temporada. Nas audiências, os 8,1% de rating e os 17,4% de quota de mercado só permitiram ao talent-show vencer a concorrência quando as principais apostas dos canais privados já tinha terminado.

 

Alguns dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Incluem Vosdal.

facebooknovo.jpg

 

"Casados à Primeira Vista" ou "Pesadelo na Cozinha"? Um deles liderou as audiências

Fotografia.: Miguel Manso

facebooknovo.jpg

 

"Casados à Primeira Vista" liderou as audiências, este domingo (22/10), em parte da sua exibição. Ainda assim, não chegou para vencer o "Pesadelo na Cozinha", que conseguiu o melhor resultado da temporada.

 

 

A aposta era forte e, apesar do bom resultado, o programa focado em casamentos entre desconhecidos acabou por não se conseguir sobrepor ao formato da TVI.

 

O reality-show do canal de Carnaxide, apresentado por Diana Chaves, arrecadou uma média de 1 milhão e 258 mil espectadores. No que toca a audiências, significa que o "Casados à Primeira Vista" registou 13% de rating e uma quota de mercado de 24,1%.

 

Já o "Pesadelo na Cozinha" não só conseguiu levar a melhor sobre a concorrência, como ainda garantiu o melhor resultado da segunda temporada. Ao todo, Ljubomir captou a atenção de uma média de 1 milhão e 448 mil espectadores, ou seja, 15% de rating e 27,7% de quota de mercado.

 

Longe dos formatos das privadas esteve o "The Voice Portugal". O talent-show não foi além dos cerca de 927 mil espectadores, que se traduzem em 9,6% de audiência média e 19,1% de share.

 

Contudo, segundo informação veículada pela SIC, o seu novo programa liderou nos chamados targets comerciais, aqueles que mais interessam aos anunciantes. Nas classes A, B e C, dos 25 aos 54 anos, "Casados À Primeira Vista" registou uma média de 15% de rating, mais 5% que o "Pesadelo na Cozinha". Neste segmento, até o "The Voice Portugal" se sobrepôs ao programa da TVI ao registar 11% de rating.

 

Apesar de não ter conseguido a liderança, a estação de Carnaxide conseguiu um dos melhores resultados no horário nobre de domingo desde o polémico "SuperNanny".

 

Alguns dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Incluem Vosdal.

facebooknovo.jpg

 

A verdadeira prova de fogo

Fotografia.: Logotipo do programa retirado de sic.pt

facebooknovo.jpg

 

Não é um "agora ou nunca", mas a estreia de "Casados à Primeira Vista", esta noite, é a verdadeira primeira prova de fogo da nova direção da SIC.

 

Todas as estreias e mudanças promovidas por Daniel Oliveira, diretor-geral de entretimento do canal, foram quase como um "arrumar a casa". Pelo contrário, a aposta no formato que promove o casamento entre desconhecidos foi inteiramente sua. Até porque, segundo várias informações veiculadas, o apresentador rejeitou o reality-show adquirido pela anterior direção.

 

A SIC tem o caminho aberto para liderar as audiências nesta noite. O fator novidade vai agarrar o público. Além disso, a concorrência, apesar de forte, começa a demonstrar desgaste. "Pesadelo na Cozinha", da TVI, lidera os domingos mas com resultados bem mais baixos do que a edição anterior e o "The Voice Portugal", da RTP1, só consegue vencer quando a concorrência já não tem no ar os seus principais produtos.

 

Só que liderar na estreia não chega e é aí que entra a tal "prova de fogo". Com a aposta em diários durante a semana, no horário das 19h00, o formato vai ser um dos principais motores da estação e é por isso que não pode falhar.

 

Acredito na liderança aos domingos, pelo menos nas primeiras emissões, mas tenho dúvidas dos bons resultados diariamente, porque me parece que não haja conteúdo suficientemente interessante para tanto tempo de emissão. A isso, junta-se o extraordinário desgaste do programa emitido nestes moldes.

 

Diana Chaves, a apresentadora, também tem aqui um "pau de dois bicos". Se o formato correr bem, vai estar num pedestal. Pelo contrário, se as coisas não correrem como a estação espera, vai ter vários dedos apontados a si como um das principais culpadas pelo falhanço. Sinceramente, gosto da Diana e acho-a melhor apresentadora do que atriz. Já para o formato em causa, não a querendo desvalorizar, penso que era necessário um nome mais forte e com mais histórico na apresentação.

 

A estreia de "Casados à Primeira Vista" está então marcada para este domingo à noite, na SIC, às 21h20.

facebooknovo.jpg

 

"Famílias Frente a Frente" é o novo programa da RTP

hero-banner-8f3a3d2ba4b51f8bede689bce346c5046e2730

facebooknovo.jpg

 

O canal público vai apostar no formato australiano "Family Food Fight" e já está à procura de famílias que queiram colocar-se à prova. O programa, que tem a cozinha como cenário, procura o "humor, o conflito e as emoções familiares".

 

"Famílias Frente a Frente" é constituído por várias provas onde 12 famílias de várias zonas do país vão concorrer entre si, cozinhando pratos tradicionais ou que habitualmente cozinham em casa.

 

Com duração de 90 minutos, os 13 programas previstos serão comandados por um jurado chefe que vai liderar o programa. Para ajudá-lo nas suas decisões estarão ainda presentes mais dois chefes. 

 

Aqueles que quiserem participar devem fazê-lo através do correio eletrónico: fff@rtp.pt .

 

O novo concurso da RTP1 deve chegar no início do próximo ano para substituir o "The Voice Portugal".

facebooknovo.jpg

 

"The Voice Portugal" sobe audiências da RTP mas perde para a concorrência

Fotografia: Facebook The Voice Portugal

facebooknovo.jpg

 

A sexta temporada do talent-show do canal público regressou, domingo, ao horário nobre da estação. Apesar de dobrar a audiência obtida pela RTP1 nos últimos meses, não conseguiu sobrepor-se à concorrência.

 

 

   Mickael Carreira, Marisa Liz, Aurea e Anselmo Ralph voltaram com novidades: um botão que permite bloquear a ação de outro mentor e um renovado cenário. Com uma média foi de cerca de 816 espectadores, o "The Voice Portugal" foi apenas o quinto programa mais visto do dia.

 

   Relativamente à edição de 2017, a deste ano perdeu mais de 250 mil espectadores.

 

   A chegada do programa da RTP1 fez com que o "Terra Nossa", da SIC, e o "Pesadelo na Cozinha", da TVI, obtivessem os piores valores desde que estrearam. O formato conduzido por César Mourão foi o segundo programa mais visto de domingo com cerca de 891 mil espectadores. Já Ljubomir Stanisic liderou a tabela sendo seguido por uma média de 1 milhão e 295 mil espectadores.

 

   Para já, o programa que promete dar uma nova vida aos restaurantes portugueses venceu nos três dias em que foi emitido.

 

Version:1.0 StartHTML:000000240 EndHTML:000001605 StartFragment:000001365 EndFragment:000001569 StartSelection:000001365 EndSelection:000001569 SourceURL:https://blogs.sapo.pt/posts/edit?blog=acaixaquejafoimagica&post=144621&page=1

 

Alguns dados apresentados são provisórios, da responsabilidade da CAEM/GfK e podem sofrer alterações. Incluem Vosdal.

 

   

facebooknovo.jpg

 

RTP aposta na continuidade

VLCT41511-860x507-1536873232.jpg

facebooknovo.jpg

 

A nova grelha de programação da RTP1 foi apresentada, esta quinta-feira (15/09), em Lisboa. Ficção nacional, desporto, informação e entretenimento são as grandes apostas do canal do estado.

 

 

   O Lisbon Art Center & Studios foi o local escolhido pela a estação pública para apresentar as suas propostas para os próximos meses. Sobre o tema "Criativisão", a RTP aposta, sobretudo, na continuidade.

 

    O "The Voice Portugal" regressa a 23 de setembro para mais uma temporada. O formato mantém apresentadores e mentores, mas promete ser a melhor de todas a edições.

 

   Também de regresso está o "Cosido à Mão". A partir de outubro, Sónia Araújo dá a conhecer os melhores aspirantes a costureiros do país. No mesmo mês, Herman José volta com o "Cá por Casa".

 

   Uma das grandes novidades no entretenimento chega pela mão de Sílvia Alberto. A apresentadora tem em mãos a estreia de "O Artesão", no qual serão reavivadas as artes e ofícios tradicionais.

 

   A ficção nacional mantém-se como uma aposta forte da estação. A série "Soldado Milhões" estreia em novembro, já "3 Mulheres" e "Teorias da Conspiração" chegam em dezembro. A estreia dos filmes portugueses "São Jorge", "Perdidos" e "100 Metros" acontece no último trimestre do ano.

 

   No desporto, a RTP1 vai transmitir a Liga das Nações, a Taça de Portugal e Futsal.

 

   "O Preço Certo" e o "5 Para a Meia-Noite" também continuam a fazer parte da grelha de programação.

facebooknovo.jpg

 

"Tiago, muda lá para a SIC"

cristina-ferreira-sic.jpg

 

facebooknovo.jpg

 

A nova grelha de programação da SIC foi apresentada, esta tarde, em Lisboa. Cristina Ferreira, a nova estrela da estação, surpreendeu os presentes no Teatro Capitólio com um vídeo de apresentação.

 

 

   O canal de Carnaxide lançou a sua nova grelha ao final da tarde desta segunda-feira. Além de todas as novidades, o momento mais esperado foi a aparição de Cristina Ferreira. Apesar de não estar presente pessoalmente, a apresentadora surgiu em vídeo a reforçar que a SIC é a sua casa. No final desse vídeo brincou, ao chamar o filho Tiago e pedindo-lhe para mudar de canal.

 

   Apesar de todas as atenções estarem viradas para antiga estrela da TVI, a estação anunciou as suas apostas para a nova temporada.

 

   Júlia Pinheiro vai apresentar um novo programa nas tardes. "Júlia", assim se chama o formato, chega em outubro e a apresentadora revelou que tem ""uma cadeira mágica, na qual todas as pessoas são extraordinárias.", disse.

 

  Diana Chaves também está confirmada como o rosto principal do "Casados à primeira vista". A "experiência social" tem estreia marcada para o final de setembro.

 

    O "Fama Show" tem nova apresentadora. Jani Gabriel está de regresso depois de ter sido a "Reportér V" no "The Voice Portugal".

 

   Quanto a novelas, "Alma e Coração" é a grande aposta do canal na ficção nacional. A história é protagonizada por Cláudia Vieira, Soraia Chaves e Afonso Pimentel. 

 

   Além de todas as novidades, a SIC relembrou a continuação da pareceria com a TV Globo e anunciou o regresso do remake de "Gabriela", em outubro. Além dessa ligação, o canal fez saber que mantém os direitos de transmissão da Liga Europa.

 

   Uma das maiores surpresas, ainda que só por uma vez, é o regresso do "Levanta-te e Ri". O programa foi a opção escolhida para comemorar o aniversário do canal e tem transmissão marcada para 7 de outubro.

 

   Na informação, "Vidas Suspensas", de Sofia Pinto Coelho e Ribeiro Cristóvão, regressa com nova temporada. Conceição Lino e Pedro Coelho também estão de volta com jornalismo de investigação.

 

   Por esclarecer ficou a data de estreia de Cristina Ferreira na SIC.

 

facebooknovo.jpg

 

"The Voice Portugal", "Terra Nossa" e "Pesadelo na Cozinha" regressam em setembro

Picture1.png

facebooknovo.jpg

 

SIC e TVI anunciaram recentemente o regresso dos seus programas. Já a RTP, ainda não anunciou a data de estreia do talent-show. Os programas das privadas chegam no mesmo dia.

 

   Os bons resultados obtidos pelos três formatos fizeram com que os canais generalistas voltassem a apostar neles. O "Terra Nossa" fez boa figura na época do Mundial de Futebol de 2018 e, na SIC, decidiram abrir o leque a várias figuras conhecidas do país, ligadas a várias áreas. Sabe-se que César Mourão vai visitar as origens, por exemplo, de Tony Carreira. A estreia está marcada para domingo, dia 9 de setembro.

 

   A TVI decidiu apostar na mesma data que a concorrente privada para fazer regressar Ljubomir Stanisic. A segunda temporada de "Pesadelo Na Cozinha" promete continuar a ajudar os donos de restaurantes a melhorar os seus negócios.

 

   Por sua vez, a RTP1 ainda não fez saber a data de estreia da sexta edição do "The Voice Portugal". Ainda assim, a maior probabilidade é que Catarina Furtado e Vasco Palmeirim regressem a 23 de setembro, duas semanas depois das estreias da concorrência. O programa vai manter os mentores, mudando apenas o cenário e a "Repórter V". Mafalda Castro ocupa assim o lugar deixado vago por Jani Gabriel.

Novo cenário - Conta de Instagram do ex-concorrente Fausto Vasconcellos

 

facebooknovo.jpg

 

Palmeirim regressa à televisão com "Joker"

5a014fbc-2775-4d27-bfff-4132acdd9ad3-860x507-15349

 

facebooknovo.jpg

 

O conhecido animador de rádio regressa à RTP1, já este mês, com um concurso de cultura geral.

 

   Vasco Palmeirim, 50 mil euros, 12 perguntas e sete jokers. São estes os trunfos do canal do Estado para as noites de semana. 

 

   Depois de Pedro Fernandes e do "Brainstorm", o canal público renova a aposta nos concursos de cultura geral. Em o "Joker", um concorrente vai tentar responder a todas as perguntas e assim ganhar o prémio total em jogo. Para consegui-lo tem de responder, acertadamente, a 12 questões e pode contar com a ajuda de sete jokers, que permitem eliminar respostas erradas.

 

   A estreia do formato está marcada para dia 27 de agosto, segunda-feira, às 21H00.

 

   O apresentador vai, contudo, continuar a dar a cara pelo "The Voice Portugal" que regressa em setembro.

facebooknovo.jpg

 

Noite cor-de-rosa

Créditos: NiT

facebooknovo.jpg

 

   À terceira foi de vez. Depois de duas semifinais polémicas, a final do "Festival da Canção 2018" correu extremamente bem.

 

   É preciso recuar vários anos para se encontrar um programa televisivo em Portugal com um cenário e palco da dimensão da que pudemos ver este domingo. A apresentação de Pedro Fernandes e Filomena Cautela foi seguríssima. Ela já a caminhar para se tornar numa "senhora apresentadora" e ele com a piada ou alfinetada certa, no momento certo. Trouxeram frescura e jovialidade.

 

   O momento alto foi, sem dúvida, o da fantástica e merecida homenagem a Simone de Oliveira. Já a homenagem ao grupo Doce foi inesperada, mas bem vinda, e muito bem conseguida por parte das cantoras e de Moullinex.

 

   O Festival só não correu melhor porque a maioria das músicas a concurso eram um grande bocejo a que nem o mais interessado conseguia estar atento.

 

   Quanto aos resultados, Janeiro, com "Sem Título", foi o grande derrotado da noite ficando em 4º. lugar. Uma das vencedoras da noite foi Catarina Miranda. Sem nenhum tipo de favoritismo, chegou à final quase sem se dar por ela e "Para Sorrir Eu Não Preciso de Nada" só não ganhou porque o voto do público é soberano em caso de empate.

 

   Cláudia Pascoal e Isaura venceram merecidamente o concurso, confirmando o favoritismo à vitória após a desistência de Diogo Piçarra. "O Jardim" é uma digna vencedora. Além da bonita mensagem, a de uma neta que se despede da avó que morreu, há ainda a acrescentar a boa melodia e o ritmo contemporâneo. Ainda assim, a cantora que não venceu a última edição do "The Voice Portugal", tem de se conter. Cada vez que cantou a música emocionou-se no final e o mesmo vai acontecer na "Eurovisão" se não se treinar. Já foram tantas vezes que podemos vir a ser acusados de estar a "fazer número".

 

   Quanto a possibilidades no Festival Internacional, ainda é cedo, mas as Casas de Apostas que nos davam a vitória em 2017 não animaram muito com a escolha portuguesa. Ainda sem se conhecer a eleita, Portugal estava abaixo das 20 primeiras posições e aí se mantém. 

 

   Vamos representados pela canção daqueles que ficam encarregues das vivendas enquanto os donos vão de férias: "Agora que não estás, rego eu o teu jardim". É uma brincadeira. "O Jardim" é um boa escolha.

 

facebooknovo.jpg